Destaque »

5° Fase da Operação Malebolge cumpre 40 mandados de busca e prende uma pessoa em Araxá

23 de outubro de 2020 – 14:58 |

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, hoje (23), a 5ª fase da operação Malebolge. Os policiais civis lotados na Ciretran de Araxá cumpriram 40 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Diversos

Cachaça: tradição no coração dos mineiros

Produção fotos cachaça , para “I Seminário Estadual da Cachaça de Alambique”.

Coração. Assim é chamada pelos produtores de cachaça a melhor parte do resultado da destilação, o líquido com gosto de tradição que será engarrafado ou depositado em barris de madeira para envelhecer. As histórias de Minas e da cachaça, produzida a partir da fermentação da cana-de-açúcar, se misturam, e marcam presença com lugar de destaque na mesa dos mineiros, sempre acompanhada da nossa tradicional gastronomia. Não por acaso, o estado é o maior produtor brasileiro da bebida, com 200 milhões de litros por ano. A cachaça é responsável pela geração de mais de 100 mil empregos diretos e 300 mil indiretos em Minas. A importância da iguaria, inclusive, é reconhecida no calendário, com o Dia Nacional da Cachaça, comemorado no último dia 13 de setembro. Dados do Anuário da Cachaça 2020, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), indicam que Minas Gerais possui 375 registros de estabelecimentos produtores de cachaça no banco de dados nacional. Além disso, o estado também é o campeão em número de registro de produtos (1.286) e de marcas registradas (1.680). Jaqueline Santos, assessora técnica da Diretoria de Agroindústrias e Cooperativismo da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), explica que a tradição é um importante elemento na diferenciação da cachaça mineira.
“Ela é produzida em alambiques de cobre e por destilação em bateladas, um processo tradicional e mais lento que a destilação industrial. Nesse processo, há a separação dos compostos indesejáveis da bebida, que são chamados de ‘cabeça’ e ‘calda’, sobrando apenas o que eles chamam de ‘coração’, a fração de melhor qualidade e que preserva os compostos químicos e sensoriais desejados”, detalha. Salinas é a maior região produtora de cachaça no estado e no Brasil, com 21 estabelecimentos e 125 marcas registradas, também de acordo com Anuário da Cachaça 2020. “Em 2012 foi concedida à região a indicação geográfica, que evita que produtos de origem de outras regiões sejam comercializados como cachaça de Salinas, e, também, garante a qualidade e procedência do produto”, lembra Jaqueline. Em agosto deste ano, o IMA lançou uma cartilha que traz todos as informações sobre o Certifica Minas Cachaça. Beba com moderação!