Destaque »

‘Rock Bocaína 2017’, agitou final de semana esportivo em Araxá

20 de outubro de 2017 – 20:49 |

Foram quatro dias de muita ação, adrenalina e integração esportiva, na realização da 3º edição do Rock Bocaína, que aconteceu no último fim de semana, entre os dias 12 e 15 …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Notícias

Parada Cívica de Sete de Setembro reuniu mais de cinco mil pessoas em Araxá

A Avenida  Presidente Getúlio Vargas, foi o palco para o desfile cívico de sete de setembro em Araxá ( última quinta-feira – 07 de setembro de 2017). A parada cívica organizada pela Prefeitura de Araxá e parceiros teve início  por volta das oito horas da manhã  com  presenças de várias autoridades municipais como o  prefeito Aracely de Paula, secretários (as), assessores e equipe do governo municipal, o deputado estadual Bosco, vereadores e membros da sociedade civil e organizada e mais de cinco mil populares que acompanharam de perto o cortejo cívico. A parada da independência do Brasil em Araxá, foi divivida em seis blocos, com o desfile de mais de setenta entidades, instituições e unidades de ensino das redes municipal, estadual e particular apresentando o verdadeiro significado do Dia da Independência do Brasil, comemorado em 7 de setembro com desfile cívico militares por todo o país. O desfile foi aberto oficialmente pelo prefeito de Araxá Aracely de Paula, com a apresentação das bandeiras do Brasil, de Araxá e de Minas Gerais e a execucação do hino nacional brasileiro. Em entrevista ao JORNAL INTERAÇÃO a  Secretária Municipal de Educação, Gessy Glória Lemos, afirmou que, “  o desfile foi muito diversificado. “Optamos mais por uma caminhada para a gente poder introduzir mais a família. Tivemos muitos pais presentes juntos com os filhos. Cada escola se organizou para participar do desfile sem a determinação de um tema. A parte da história da Independência do Brasil foi tratada dentro das unidades escolares. Estamos com grande participação das  instituições de Araxá” .  Já o prefeito Aracely de Paula consideriou a parada cívica, “ como um momento de entusiasmo e superação, haja vista a atual crise econômica vivida pelo Brasil. “Espero que os males sofridos nesses últimos anos tenham nesse dia 7 de setembro o patamar de arrancada para o futuro.” A festa maior da democracia brasileira em Araxá foi encerrada com uma grande evolução do grupamento do Tiro de Guerra, 04 001 através de seus atiradores. O JORNAL  INTERAÇÃO, ouviu com exclusividade algumas pessoas que estavam acompanhando o desfile cívico em Araxá e que também falaram sobre a  atual situação política e econômica do Brasil. Dona Maria da Glória Dias da Silva, de 65 anos, disse que,” eu sempre gostei de ver o desfile de sete de setembro. Quando eu era  estudante eu desfilava e era muito bom.  Hoje eu trouxe minha netinha Gabriela de 7 anos e me sinto como se tive a mesma idade dela. Sobre esses políticos ladrões do Brasil eu fico muito triste, mas acho que mesmo com tanta bandalheira, a  gente não pode deixar de acreditar nas coisas boas do nosso Brasil.” Para o aposentado Onofre Carneiro Secundino de 72 anos, “ eu adoro a parada da independência. Isso é uma maravilha. É uma pena que esses políticos e empresários ladrões não consigam ver que o nosso país é muito grande e tem gente boa e que precisa de ajuda. É uma pena mesmo, mas eu sou brasileiro e acredito que a justiça dos homens e de Deus vão dar um jeito nessa gente e arrumar o nosso Brasil.”  A estudante Maria Clara Nunes Azevedo, de 22 anos, contou a reportagem  do INTERAÇÃO, que,” a gente deveria comemorar a liberdade, a independência e a democracia em nossa cidade, no Estado, e no País , todos os dias. Mas infelizmente, aqueles que deveriam dar o exemplo ( esses políticos bandidos e seus amigos empresários criminosos) só olham o lado e o bolso deles. Hoje, nesse dia 7 de setembro o povo de verdade, honesto e trabalhador  é que está aqui nas ruas, acreditando e vibrando como cidadão de verdade. Eu estou aqui porque acredito no meu Brasil e na justiça brasileira. Amanhã será bem melhor e o nossos filhos e netos terão um futuro mais justo e honesto; se Deus quizer.”