Destaque »

Fiscais da Vigilância Sanitária de 8 cidades participam de oficinas em Araxá

21 de maio de 2019 – 16:42 |

Os profissionais que trabalham com fiscalização no setor de Vigilância Sanitária na Microrregião do Planalto de Araxá se reuniram no último final dee smeana.  Nos encontros as equipes participaram de oficinas onde …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Secretaria de Saúde de Minas Gerais reforça que vacina contra o HPV é segura e eficaz

vacina HPVA Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) compartilha do mesmo posicionamento do Ministério da Saúde, ao afirmar que a vacina contra o HPV é segura e eficaz. Além disso, a vacina, em conjunto com as ações de rastreamento para o Câncer de Colo de Útero são estratégias importantes para a prevenção deste tipo de doença. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a cada ano surgem 15 mil novos casos e 5 mil mortes ocorrem por causa do doença no Brasil. Nesta semana, o Ministério Público Federal (MPF) alegou que a vacina contra o HPV não teve eficácia comprovada nem possíveis efeitos colaterais estudados. A meta de vacinação contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) em meninas de 11 a 13 anos alcançou, em 2014, 100% do público alvo. Mais de 507 mil meninas receberam a dose da vacina. O objetivo agora é alcançar a meta também para a faixa etária de 9 a 11 anos, que representa, em todo o estado, 478.679 meninas. Em 2015 a vacinação teve sua abrangência ampliada para meninas com idade entre 9 e 11 anos, além de mulheres de 14 a 26 anos, que são portadoras de HIV/Aids. Este ano, a cobertura da 1ª dose da vacina foi de 66,23%, com 311.011 doses aplicadas e a 2ª dose de 39,95% com 194.191 doses. A vacina está disponível nos postos de saúde e a partir de 2016 estará disponível para as meninas de 09 a 13 anos de idade. Introduzida no calendário de vacinação em 10 de março de 2014, a vacina contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) é a principal forma de prevenção. Ela é segura e gratuita. A sua eficácia foi comprovada para proteger mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus. A vacina é licenciada em mais de 130 países. A sua segurança é reforçada pelo Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS). As Sociedades Brasileiras de: Imunizações (SBIm), Infectologia (SBI) e Pediatria (SBP), a Sociedade Latinoamericana de Infectologia Pediátrica (SLIPE) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), enfatizam a necessidade das meninas brasileiras, de 9 a 13 anos de idade, receberem a primeira ou segunda dose da vacina HPV nos postos de vacinação e escolas de todo país, com o objetivo de uma adequada proteção contra as infecções causadas pelo vírus que são relacionadas a vários tipos de câncer, especialmente o de colo uterino.