Destaque »

Lídia Jordão faz palestra no 13º Encontro Mulheres com Direito

17 de maio de 2019 – 19:12 |

Lídia Jordão representou Minas Gerais, juntamente com mais nove mulheres da área do Direito, de outros estados do País. Ela foi convidada pela coordenação geral  do Encontro, através da Drª Fabiana Garcia. Para Jordão, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Destaque

Pezão: ‘Fui preso, entrei em depressão, pensei em acabar com a minha vida; não roubei e Deus me fortaleceu’

DSC07620Esta semana, por decisão da justiça, o vereador do PMDB de Araxá, José Gaspar Ferreira de Castro, o Pezão, reconquistou sua cadeira de vereador na Câmara Municipal de Araxá, depois de ficar  nove  dias preso e ser afastado do cargo de parlamentar municipal, também por determinação da justiça, durante as investigações sobre o caso de desvio de dinheiro da Santa Casa de Araxá. Depois de usar a tribuna da Câmara Municipal na sessão ordinária do Legislativo Araxaense, da última terça-feira, dia 20 de outubro de 2015, na sua volta à Casa de Leis, José Gaspar Ferreira de Castro, deu uma entrevista exclusiva ao  JORNAL INTERAÇÃO, em seu gabinete de trabalho. Ainda bastante emocionado, o vereador num tom sereno, disse que “ no dia 12 de agosto eu estava realizando um trabalho na barraca de apoio aos romeiros de Nossa Senhora da Abadia, uma ajuda que já faço a muito tempo, e fui pego de surpresa e preso. Uma data que vai ficar marcada na minha vida para sempre. Mas, como sou muito religioso, eu tive depois de dois meses a felicidade de ter o nascimento da minha neta no dia 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, e também um dia depois consegui a vitória de ser inocentado  pela mesma justiça que me prendeu  e ganhar por direito conquistado minha cadeira aqui na Câmara Municipal”. Apesar dos reveses,  das mazelas que enfrentou no cárcere e   do pré julgamento popular e  por parte da  imprensa, Pezão, se mostrou bastante tranqüilo e confiante diante de todos as pendengas e quizilas policiais, criminais e acusatórias que envolveram seu nome. Para o vereador do PMDB, “não tenho magoa da justiça, pois se meu nome foi citado no caso,  a polícia tinha o direito de investigar. E isso poderá acontecer com qualquer um dos vereadores dessa Casa. “Olha, apesar de tudo, da minha inocência, eu ainda estou com o pé atrás, porque, ainda terei que enfrentar a Comissão Processante da Câmara, pedida pela vereadora Valéria Sena do PTdoB, que pede a minha cassação por falta de decoro parlamentar. E pelo que eu tomei conhecimento as pessoas que entraram com o pedido da minha cassação eu não tenho conhecimento e nem sei o motivo porque estão agindo assim”.  A respeito da prisão, Pezão disse que, “pelo amor de Deus, eu pegar dinheiro da Santa Casa! Minha filha trabalha lá, eu sei a dificuldade que aquele hospital passa. Nem contato com aquele povo da Santa Casa eu tenho. Sinceramente até hoje eu não entendi porque  fui envolvido e preso. Eu acho que é por que o Miguel Júnior estava na Prefeitura e Ra do meu partido. Sobre a acusação, o o vereador do PMDB    José Gaspar Ferreira de Castro, o Pezão, disse que, “ eu sou inocente! Não roubei um centavo da Santa Casa. Espero que a Câmara também reconheça a minha inocência para que a gente possa voltar a trabalhar realizando as nossas ações sociais para o povo de Araxá.”   Finalizando, Pezão disse emocionado à reportagem do  JORNAL INTERAÇÃO que, “ olha, eu passei, nove dias na cadeia e parecia que meu mundo tinha acabado. Tive depressão e pensei até em tirar a minha vida, mas me apóie em Deus e rezei muito. Levei uma bíblia e fiquei rezando  ao lado do Miguel  Júnior, pois foram momentos intermináveis, difíceis mas Deus quis assim e a gente sempre confiou nele.”