Destaque »

Cientistas descobrem Cobras que voam 24 metros

12 de julho de 2020 – 1:27 |

As chamadas cobras voadoras são capazes de ondular seus corpos enquanto deslizam pelo ar, e esses movimentos únicos permitem que elas voem, descobriram os cientistas. O animal, chamado de Chrysopelea paradisi, também conhecido como “a …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Drenagem urbana preocupa IPDSA

A drenagem urbana é o conjunto de medidas que tenham como objetivo minimizar os riscos que a população está sujeita, diminuir os prejuízos causados por inundações e possibilitar o desenvolvimento urbano de forma harmônica, articulada e sustentável. Ou seja, a drenagem nada mais é do que o gerenciamento da água da chuva que escoa no meio urbano. O aumento da população, principalmente em pólos regionais de crescimento e a expansão irregular da periferia tem produzido impactos significativos na infra-estrutura de recursos hídricos. E um dos principais impactos que tem ocorrido na drenagem urbana é a forma de aumento da frequência e magnitude das inundações e consequentemente a degradação ambiental. A visão antiga da drenagem urbana tinha como princípios: remover as águas pluviais para jusante executar projetos e obras, como medida estrutural para resolver os problemas e a base de analise era somente econômica. Já a visão moderna busca a compreensão integrada do meio ambiente: social, legal, institucional e tecnológica, visando resolver os problemas gerenciais através de componentes políticos. Sobre este assunto a reportagem do JORNAL INTERAÇÃO, conversou com o Superintendente do IPDSA, Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Araxá, o engenheiro Paulo de Souza. Ele disse em tom de preocupação que, “a médio prazo, este é um problema que teremos que enfrentar e achar uma solução emergencial, pois com a expansão imobiliária e o crescimento urbano do município, a água anão vai ter como infiltrar no solo e vai inundar principalmente as vias baixas da cidade, como por exemplo, as avenidas Wilson Borges e João Paulo Segundo.” Entre os principais efeitos e impactos da urbanização sobre a vazão destacam-se; o pico da vazão da água em uma bacia impermeabilizada é 6 vezes maior;  a cobertura  vegetal da área urbana influencia diretamente na vazão, a partir da chuva; as precipitações críticas são mais intensas e frequentes; no início da chuva é que ocorre o maior pico de poluição. Para o Superintendente do IPDSA, “é complicado imaginar a quantidade de água que desce dos bairros altos a cidade, como o Santo Antônio, São Geraldo, Urciano Lemos, Alvorada, Santa Rita entre outros. Essa água toda não tendo como se infiltrar na terra, vai transformar a parte baixa da cidade num caos de lama, barro, esgoto e  muito lixo.” É sabido que atualmente as  áreas urbanas vem sendo cada vez mais impermeabilizadas, gramados e áreas verdes são substituídos por calçadas e pavimentos, as áreas de telhados são expandidos, fazendo com que o volume de água escoado nas ruas aumente de forma significativa. Dentre os principais impactos das inundações sobre a população estão: os prejuízos de perdas materiais e humanos, a interrupção da atividade econômica das áreas inundadas, a contaminação por doenças de veiculação hídrica como leptospirose, cólera, entre outros e a contaminação da água pela inundação de depósito de materiais tóxicos, estações de tratamento, entre outros. Finalizando Paulo de Souza, disse que é preciso começar a fazer  une estudo aprofundado sobre o assunto, onde prioritariamente temos de indicar tecnicamente a  necessidade de manutenções para amenizar e diminuir os pontos de alagamentos.