Destaque »

Bem Brasil Alimentos é nomeada uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil

12 de dezembro de 2019 – 12:53 |

A Bem Brasil Alimentos S/A, a maior indústria de batata pré-frita congelada do país foi reconhecida como umas das melhores empresas para se trabalhar no Brasil, segundo o relatório elaborado pela revista VOCÊ S/A em parceria com …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Araxá busca oportunidades e conhecimento para realizar negócios com a China

O empresário de Araxá, Emílio Parolini, esteve na China entre os dias 13 e 23 de abril para participar da “Fanton Cair”, um dos maiores eventos de negócios do mundo.

O empresário Emílio Parolini representou Araxá em uma das maiores feiras de negócios do mundo, a “Fanton Cair”, expressão traduzida para o português como a “Feira de Cantão”. Entre os dias 13 e 23 do mês passado, ele participou da primeira fase da exposição, que reunia mais de 50 mil empresários de todo o mundo, que são compradores e fornecedores de máquinas e equipamentos pesados, pequenos maquinários, autopeças, hardware, ferramentas, máquinas para construção, eletrodomésticos, artigos sanitários, materiais para construção e decoração, dentre outros de diversos setores. Outras duas fases ocorrerão ainda este ano na China.

A viagem foi promovida por uma parceria entre a Federação das Associações Comerciais do Estado de Minas Gerais (Federaminas) e a empresa Baumann Travel, voltada para viagens empresarias. O grupo mineiro ficou cinco dias participando da feira do cantão na cidade chinesa de Guangzhou.

A delegação também visitou Hong Kong e Pequim. Liderada pelo presidente da Federaminas, Wander Luís Silva, a missão foi integrada por 22 empresários ligados às Associações Comerciais das cidades de Araxá, Arcos, Belo Horizonte, Caratinga, Espinosa, Ipatinga, Janaúba, João Monlevade, João Pinheiro, Juruaia, Patos de Minas, Teófilo Otoni e Uberaba.

“A feira corresponde a 1.200.000 m2, é um negócio muito impressionante. O público presente lá é do mundo todo da Ásia, dos Estados Unidos e da América. Alguns negócios foram feitos e quem agregou com o nosso grupo foi o pessoal do Pará e do Paraná. O grupo do Pará, por exemplo, negociou porcelanato e fechou. Os empresários obtiveram sucesso no porcelanato, e, na retroescavadeira, o grupo de Ipatinga, com máquinas de supermercado, dentre outros negócios”, relatou Emílio.

De acordo com ele, o grupo esteve em Shangai, visitando um dos maiores portos da China. “Lá, eles têm um movimento diário em torno de 40 mil countainers, é muita coisa e tudo na China é muito exagerado, isso é que nós constatamos lá. Nesse porto, fizemos um conhecimento da parte de turismo em Shangai, que é muito forte. Hoje eles estão muito americanizados e vice-versa. Shangai é uma cidade cortada pelo rio, visitamos o museu superinteressante da história da cidade”, explicou.

“Dando sequência à parte cultural [de cinco dias], tivemos a oportunidade de pisar na praça da Paz, visitamos a ‘Cidade Proibida’, da cultura milenar, onde os imperadores moravam, como funcionavam os rituais e é aberto ao público. A China ganha dinheiro com isso, pois é tudo pago”, acrescentou.

Durante a viagem, o que mais impressionou Emílio Parolini foi a disciplina do chinês em tudo o que faz. “Eles têm aquelas raízes oriundas da cultura milenar, de trabalhar com responsabilidade. O segundo ponto foi a organização em todos os centros. Hoje os viadutos lá, é tudo arborizado e florido. Quando você passa em um viaduto, chega a ter mais três acima de você. Eles aproveitam cada espaço de terra, é muito interessante. E uma outra visão, que fiquei até surpreso, é que lá eles trabalham por meio de cooperativas de mesmo segmento, como por exemplo, na área de calçados. Isso mostra que eles também estão preocupados em vender seu próprio produto para o estrangeiro”, observou.

Segundo Emílio, a viagem foi positiva em todos os aspectos, tanto no empresarial quanto no cultural. “O primeiro trabalho positivo foi a integração do trabalho em grupo com empresários de outros municípios. Nós éramos lá 23 pessoas, com oito presidentes das associações comerciais. O restante eram empresários da cidade associados com a Federaminas, e o grupo foi muito interativo no sentido de fazer negócios. Isso impressionou o representante da Baumann Travel pela maneira como foram conduzidos os trabalhos”, contou.

Devido à viagem, Emílio Parolini comentou que a cidade de Araxá receberá um seminário empresarial. “Eu tive uma reunião com Márcio Farid [presidente Acia] e vamos marcar uma reunião, entre final de maio e início de junho, onde colocaremos algumas fotos e faremos uma explanação geral com mais detalhes do que é a economia chinesa e, ao mesmo tempo, vai vir também a Araxá o dono da empresa Baumann Travel, que viajou com a gente, Cláudio Meirelles, para fazer contatos com o empresariado local”, pontuou.

A vinda do representante da Baumann a Araxá significa uma abertura de caminho para a classe empresarial investir na China e vice-versa. “O brasileiro não tem o hábito de exportar, mas de importar. Esse conhecimento que estaremos passando para os empresários de Araxá posteriormente será importante para que outras pessoas adquiram não apenas o conhecimento a nível empresarial, mas também cultural”.

Emílio comentou também a respeito das duas missões que ainda acontecerão. “A intenção da Federaminas é fazer missões específicas para aquele período. Quem mexe na parte de brinquedos, é na segunda fase, na parte de móveis, na terceira fase, e assim consequentemente. Então, a gente vai abrir esse leque de conhecimentos por meio da palestra do Cláudio para falar aos empresários de Araxá sobre de que maneira se pode aproveitar esse mercado chinês. Não são apenas os empresários daqui que estarão sendo beneficiados, mas de todo o Estado”, finalizou.

Ele esclareceu também que a Acia ainda vai convidar todos os empresários e associados para participarem desse seminário empresarial sobre a China.