Destaque »

Ganso empata com Patrocinense e garante vaga na semifinal da Segundona

14 de outubro de 2018 – 0:07 |

Terminou agora a pouco, ( sábado,dia 13 de outubro de 2018), a partida entre Patrocinense e Araxá Esporte, no estádio Júlio Aguiar, na cidade de Patrocínio, pela última rodada da fase de classificação do Campeonato …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

SÃO LEMBRANÇAS, QUE DEIXAM SAUDADES

Depois de uma grande viagem, finalmente chegávamos na entrada da grande mata. Uma sinuosa estradinha, muito estreita e cheia de galhos, árvores caídos e também, valetas formadas pelas fortes enxurradas, obstruíam nossa passagem, rumo a linda praia, que contornava o rio Tocantins..Que mata maravilhosa! Árvores centenárias, protegiam uma imensa fauna e flora, naquele lugar, tão rico em diversidade e também em beleza. Macacos pulavam de galho em galho, seguindo nossa van. Parecia já estarem habituados, com movimento de pescadores ali. Foi um trajeto de mais ou menos dois quilômetros, muito difícil, devido a embaraços da pequena estradinha. Finalmente chegamos na linda praia, de areias tão claras e como era grande, contornando o rio, ela se perdia à nossa vista. Muitos rastos nela confirmavam a existência ali, de uma grande variedade de animais, répteis e aves. Não ligando para o cansaço da viagem, logo já pusemos a armar nossas barracas. Enquanto isto num fogão improvisado, Benedito preparava o jantar, inclusive os tira-gostos que antecediam a bóia, enquanto bebericávamos. Aquele lugar era muito gostoso, principalmente, pela vantagem de podermos pescar ali pertinho das barracas. Naquele lugar, o rio fazia uma grande curva, formando um tanque muito fundo. Com grande formação de um espaço com enormes pedras, se estendendo até perto da mata, formava uma sombra gostosa, nos protegendo do calor de quase 40 graus. Naquele dia não pescamos, fomos dormir cedo, devido ao cansaço da viagem. Cinco da matina, Benedito já batia panelas para nos despertar, anunciando também que o reforça bucho estava pronto.
Depois de um reforçado tira-jejum, fomos divertir, pois já era hora de fisgarmos os grandes peixes. Admirávamos as belas aves, como os tuiuiús, as garças, as ciganas, também os patos selvagens. Ali estavam também, fazendo suas pescarias. Pescamos até às onze horas, fisgando grandes cacharas, cachorras e também uma respeitável pirarara, com mais de quarenta quilos. Reservamos para tira-gostos uma cachara de bom tamanho, pois Benedito era um grande cozinheiro e sabia preparar a bichona. À tarde, fomos surpreendidos por uma boiada de búfalos, que ali vinham para salitrarem num lambedouro, perto de nosso alojamento.
Deveria ter mais de quarenta bubalinos, liderados por um mostrengo, que chegava a dar medo. Eram muito mansos, fomos informados pelo nosso guia, que pertenciam ao fazendeiro, proprietário da fazenda onde estávamos instalados. Curioso, fui até eles, de fato eram muito mansos. Eram fêmeas, que estavam amamentando, porém sem os bezerros. Depois de se saciarem com o sal natural, foram afastando rumo a fazenda. Por estarmos muito perto daquele lambedouro, sempre tínhamos visitas surpresas, de vários animais, principalmente o grande veado galheiro, imponente com seus enormes chifres, que pareciam galhadas. Foram dias que aproveitamos muito, fizemos ótimas pescarias, ouvimos e contamos gostosas e engraçadas piadas, com aqueles companheiros espetaculares, passamos aqueles maravilhosos dias….
SÃO LEMBRANÇAS, QUE DEIXARAM SAUDADES…
francelinocardosojr@hotmail,com