Destaque »

Lídia Jordão faz palestra no 13º Encontro Mulheres com Direito

17 de maio de 2019 – 19:12 |

Lídia Jordão representou Minas Gerais, juntamente com mais nove mulheres da área do Direito, de outros estados do País. Ela foi convidada pela coordenação geral  do Encontro, através da Drª Fabiana Garcia. Para Jordão, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Esporte

CIMTB Levorin inova em Araxá e estreia com categoria para bikes elétricas

Sempre em busca de expor as novidades do mundo da bike, a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin) irá lançar, em Araxá, uma categoria especial, a E-Bike. A categoria é destinada a atletas que utilizam bicicletas elétricas de mountain bike. A largada será no sábado (4), às 8h30. A CIMTB Levorin acontece entre os dias 3 e 5 de março. A competição da categoria E-bike acontecerá na pista do Short Track (XCC), de cerca de 2 km com muitos trechos técnicos, na mesma pista que os atletas da Super Elite. Serão 15 minutos, mais uma volta. A categoria é única, sem separação de sexo ou idade. As mountain bikes assistidas por um motor elétrico, é uma novidade no mercado brasileiro de mountain bike. De acordo com a coordenadora de marketing da Specialized, Marina Richwin, as bikes oferecem competência para revolucionarem o universo do ciclismo. “Tudo isso representa um desafio e uma oportunidade para os participantes da categoria E-Bike em todas as etapas da CIMTB 2017, já que ao combinar velocidade de uma tecnologia avançada do motor elétrico auxiliar, o ciclista é capaz de atingir uma ótima velocidade enquanto pedala, o que requer habilidade técnica e superação dos limites, resultando em algum tipo de poder sobre-humano para quem pilota uma E-bike, que poderão ser testadas durante os eventos”, disse. A coordenadora de marketing da marca explicou que com as bikes elétricas, o ciclista é capaz de economizar energia para superar outros desafios. “Para maioria das ciclistas, a subida é a parte mais difícil da pedalada, pois exige força e resistência, e quando é possível suprir o desafio com uma “super força” extra produzida por 530W de potência de um motor elétrico assistido, a energia economizada pelo ciclista pode ser usada para conseguir manter o foco para superar os próximos obstáculos da trilha. Com os ajustes de potência inclusos, fica fácil conservar a energia para as horas mais críticas. Resumindo, a e-bike é realmente o futuro das bikes de trilha”, disse. As bicicletas elétricas já fazem parte do dia a dia da CIMTB Levorin há bastante tempo. A organização usa as bikes da Sense desde 2015 na montagem do evento para circular com agilidade e conforto por todas as áreas.  Estas bikes são usadas pela imprensa e pela produção do evento, que usa uma pequena carreta no qual é carregada com materiais para montagem da pista. “Usamos um carretinha especialmente desenvolvida para viagens de bike, só que não usamos malas, e sim ferramentas, estacas, fitas, etc…”, explicou o organizador do evento Rogério.

Segundo o coordenador de marketing da Sense Bikes, Frederico Pessoa, a Bike elétrica Sense funciona com  a tecnologia de pedal assistido. “Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, é necessário que o ciclista pedale para que a bike se movimente. O motor é acionado como um “auxilio elétrico” que corta aos 25km/h. Esse é o modelo mais utilizado na Europa e Estados Unidos, e no Brasil, é o único que se encaixa na resolução 465 do CONTRAN, que que estabelece a equiparação dos veículos ciclo-elétrico, aos ciclomotores. Cada carga de bateria completa (6 horas), gera uma autonomia de até 50km. Esta autonomia varia de acordo com o peso e a potencia utilizada pelo ciclista. O mais legal da bike elétrica é o fato dela estar trazendo de volta a muitos o prazer de pedalar. Temos diversos testemunhos de ciclistas que se apaixonaram novamente pela bicicleta através de uma Sense Elétrica”, disse.

A CIMTB Levorin está sempre em busca de novidades. “É mais uma inovação que estamos inserindo na programação para interagir ainda mais com os bikers e amantes das bicicletas. A prova não é algo fácil pois vai usar a pista de short track da Super Elite e exigir técnica dos atletas. E é nestes casos que poderemos avaliar o comportamento das bikes em relação às bikes tradicionais. Será muito interessante para todos que estiverem acompanhando a prova”, disse o organizador Rogério Bernardes.