Destaque »

Ganso empata com Patrocinense e garante vaga na semifinal da Segundona

14 de outubro de 2018 – 0:07 |

Terminou agora a pouco, ( sábado,dia 13 de outubro de 2018), a partida entre Patrocinense e Araxá Esporte, no estádio Júlio Aguiar, na cidade de Patrocínio, pela última rodada da fase de classificação do Campeonato …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

RIO XINGU, NA BOA PESCARIA COM LINDOS PEIXES

As árvores da mata, sorviam as últimas gotículas do sereno caído durante a noite. Naqueles dias, com a falta de chuva, o calor era insuportável, de manhã já fazia trinta e cinco graus, mas para pescador isto é fichinha. Como é bom o calor, mesmo sendo exagerado, segundo dizia vovô Tarcísio; calor é vida. Nossas barracas foram montadas em uma linda praia, bem pertinho da mata, que chegava a entrar na praia, ou a praia entrava na mata. As auroras, o mais lindo espetáculo da natureza, eram por nós assistidas ali, usufruindo daquela vista magnífica, pois estávamos na curva do rio. O rei do universo, ia chegando anunciado por fachos luminosos, que aos poucos vinham clareando a escuridão da madrugada. Aos poucos as saracurinhas iam com seu canto estridente, anunciando o nascer de um novo dia. Pássaros e passarinhos, também compunham aquela alvorada. Os animais de vida noturna, despediam para um descanso merecido, depois de uma noite de caças. Porém os de vida diurna ali iam aos poucos chegando, para cobrarem de Benedito seu tira-jejum. Benedito colocava num cocho ali pertinho das barracas, os restos de comida, tão apreciado por seus amigos da mata. Os micos e macaquinhos então, adoravam aquele banquete. Como é linda a natureza, como é linda a aurora e o crepúsculo com seus fachos luminosos! O ambiente campestre é uma vida de surpresas, que alimenta nossa imaginação; são verdadeiras poesias, feitas de pensamentos e sonhos. Nosso pesqueiro era ali mesmo, num grande tanque ali formado, parecia abrigar os mais diversos e variados cardumes de peixes, mandis, pintados, cacharas e as famosas cachorras. Benedito também ali, lavava seus apetrechos de cozinha, fazendo uma ótima seva, para segurar os peixes naquele lugar. Por isto, fazíamos ótimas pescarias, não só durante o dia como também na entrada da noite. Nas tardes, enquanto aguardávamos o jantar, reuníamos ali pertinho das barracas, para jogarmos conversas fora. Eram piadas muito engraçadas, porém o que mais gostávamos eram dos causos de nosso guia, o Tião. Nascido e criado naquela região, sua vivência como madeireiro, pescador e caçador, faziam seus contos nos prendera atenção; caçadas de onça então eram os melhores. Divertíamos dia e noite. A pescaria não tinha hora, parece que o peixe sempre estava a nossa disposição; eram fisgadas e mais fisgadas, trazendo lindos exemplares. . O grande lagarto verde era nosso melhor freguês, porque não saia dali, a ponto de chegar a entrar nas barracas. Certa noite fomos surpreendidos, por uma linda suçuarana, a grande onça parda. Chegou silenciosa, muito desconfiada, catando os ossos por nós jogados perto das barracas. Chegávamos a ouvir, seu mastigar quebrando os ossos; ficávamos em silencio observando aquele lindo espetáculo. Era muito bonita, seu pelo brilhava com o clarão da lua cheia, em pouco tempo voltou para o interior da mata. Eram emoções seguidas, passeios inesquecíveis, tudo era alegria lá no…
RIO XINGU, NA BOA PESCARIA COM MUITOS PEIXES…
francelinocardosojr@hotmail.com