Logo Jornal Interação

Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promoveu no início deste mês,  a qualificação de profissionais de saúde e gestores da Macrorregião Centro no manejo clínico das arboviroses. O objetivo é alertar sobre o cenário epidemiológico da dengue, chikungunya e zika, qualificando o atendimento dos pacientes para evitar casos graves e óbitos. Além disso, a programação aborda os Plano Municipais de Contingência e a importância dos exames laboratoriais para subsidiar o diagnóstico e das notificações dos casos suspeitos.

De acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde, Eduardo Prosdocimi, Minas já estava com alto número de notificações e uma curva epidemiológica preocupante no final de 2023, muito acima do esperado. Em janeiro de 2024, o número de casos aumentou expressivamente.

“As notificações de arboviroses no estado aumentaram de forma bastante significativa nas últimas semanas e, por isso, intensificamos a atuação nos territórios, auxiliando os municípios em diversas frentes, da prevenção ao manejo clínico dos pacientes com sintomas de dengue e chikungunya, principalmente”, explica Prosdocimi, que detalha a importância da atuação localizada da SES-MG na orientação e no acompanhamento. “Precisamos prestar uma assistência oportuna e eficiente porque um paciente com arbovirose, se tratado de forma adequada e em tempo hábil, não evolui para óbito”, declara.

“As análises do cenário mostram que é o momento ideal para capacitar os profissionais. Por isso, essa ação do estado é muito importante. É necessário fortalecer a integração entre epidemiologia e assistência, para diminuir casos graves e óbitos”, afirma a epidemiologista.

Minas Gerais registrou 64.724 casos prováveis de dengue até o dia 29/1. Desse total, 23.389 casos foram confirmados para a doença. Até o momento, há um óbito confirmado por dengue no estado e outras 35 mortes estão em investigação.

Em relação à febre chikungunya, foram registrados 8.682 casos prováveis da doença, dos quais 6.206 foram confirmados. Até o momento, um óbito foi confirmado por chikungunya em Minas Gerais e dois estão em investigação.

Quanto ao vírus zika, até o momento, foram registrados oito casos prováveis e um confirmado. Não há óbitos em investigação por zika em Minas Gerais.

Por ego

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.