Destaque »

5° Fase da Operação Malebolge cumpre 40 mandados de busca e prende uma pessoa em Araxá

23 de outubro de 2020 – 14:58 |

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, hoje (23), a 5ª fase da operação Malebolge. Os policiais civis lotados na Ciretran de Araxá cumpriram 40 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Saúde

Ministério da Saúde altera o calendário de vacinação em todo o país

vacinacao_elza_fiuza_agencia_brasilO Ministério da Saúde anunciou nesta semana mudanças no Calendário Nacional de Vacinação. Já está valendo em todos os postos de saúde o novo esquema para a prevenção contra as hepatites A e B, papiloma vírus humano (HPV), poliomielite, meningite e pneumonia. De acordo com a Coordenadora de Doenças e Agravos Transmissíveis da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, Tatiane Bettoni, será ampliada para toda a população a oferta da vacina contra a hepatite B, incluindo as pessoas acima de 50 anos, que não recebiam a dose. “A vacina da hepatite B será ampliada para toda a população, independentemente da idade ou de uma condição de vulnerabilidade. Tínhamos uma estratificação até os 49 anos, mas ela será estendida a todos”, explica. A vacinação contra a hepatite A também foi modificada para a criança não receber diversas vacinas de uma única vez. “Já a vacinação para a Hepatite A, a alteração da faixa etária para administração vai de 12 meses para 15 meses”, frisa Bettoni.

HPV

A vacina contra o papiloma vírus humano (HPV) vai passar a ter apenas duas doses, em vez de três, para meninas entre 9 e 11 anos. Esta é uma das mudanças anunciadas pelo Ministério da Saúde no calendário de vacinação da rede pública, que já estão valendo.

Segundo a pasta, estudos recentes mostram que a resposta de anticorpos com duas doses não é inferior à aplicação de três. Já as mulheres entre 9 e 26 anos que têm HIV devem continuar recebendo o esquema de três doses da vacina contra o HPV.

Pneumonia

Para os bebês, a principal diferença no calendário vacinal será a redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente para pneumonia, que a partir de agora será aplicada em duas doses, aos 2 e 4 meses, seguida de reforço preferencialmente aos 12 meses, mas que poderá ser tomado até os 4 anos.

Poliomielite

Já a vacina contra a poliomielite, aplicada aos seis meses, deixa de ser oral e passa a ser injetável. A partir de agora, a criança recebe as três primeiras doses do esquema – aos dois, quatro e seis meses de vida – com a vacina inativada poliomielite (VIP), de forma injetável. Já a vacina oral poliomielite (VOP) continua sendo administrada como reforço aos 15 meses, quatro anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de um a quatro anos.

Meningite

Também houve mudança na vacina meningocócica C, que protege as crianças contra meningite C. O reforço, que anteriormente era aplicado aos 15 meses, passa a ser aplicado preferencialmente aos 12 meses, mas pode ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo feitas aos 3 e 5 meses.