Destaque »

Prefeitura de Araxá lança nova logomarca

22 de janeiro de 2021 – 17:16 |

A Prefeitura Municipal de Araxá definiu sua nova logomarca com a proposta de design moderno aliada com os valores históricos da cidade presentes no Brasão Oficial – os Peixes representando as águas, a Árvore dos …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Deputado Bosco defende valorização do mercado nacional da batata

   

Deputado Bosco (PtdoB) esteve na Fiemg no último dia 09 em reunião com o presidente, o Sr. Olavo Machado, para apresentar o pleito da ABBA -Associação Brasileira da Batata, que defende junto a CAMEX (Câmara do Comércio Exterior), a fixação do imposto sobre importação da batata em no mínimo 25% para aumentar a competitividade do produto nacional. Representando a ABBA, participou da reunião o diretor da Bem Brasil, o Sr. Carlos Chiarelli.

    A referida Associação pretende reunir-se com o Ministro do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior, Sr. Mauro Borges, para defesa de seu pedido e demonstrar a premente necessidade desse benefício, sob pena de ver ameaçado o excelente crescimento deste negócio nos últimos anos e as gestões para novos investimentos na área.

   As importações de batatas congeladas retiram atualmente 40.000 empregos dos brasileiros, com o crescimento da demanda por produtos industrializados em 2.014 serão subtraídos 57.000 empregos e em 2.018 deixaremos de gerar aproximadamente 75.000 empregos.

  A majoração do Imposto de Importação, é apenas uma compensação aos subsídios europeus que faz com que seus preços cheguem ao Brasil menores do que os comercializados em seus próprios países.

A ABBA

   Associação Brasileira da Batata, representa pais de 5.000 produtores espalhados por todo o Brasil.

   O faturamento anual das indústrias processadoras de batatas ultrapassa a R$2,0 bilhão/ano, os brasileiros consomem mais de 800 mil toneladas/ano de batata na forma processada, os principais produtos são: batatas chips ondulada, lisa, palha e congelada.

   A cadeia produtiva da batata gera de 2 a 3 empregos diretos por hectare dependendo do nível de mecanização, atualmente a cadeia gera aproximadamente 300.000 empregos diretos no campo e nas industrias de transformação (batatas para consumo mais batatas para as industrias de pré-fritas, chips, onduladas, palha).

   É portanto uma atividade geradora de emprego e renda, que contribui com o equilíbrio da balança comercial substituindo as importações, a cadeia da batata utiliza intensivamente mão de obra, principalmente as de menores qualificações, tem uma contribuição social muito significativa visto que retém o homem no campo melhorando a qualidade de vida e impedindo a favelização das grandes cidades.

   A indústria nacional pretende investir mais de R$ 200 milhões em uma nova planta, com capacidade 1,5 maior que a atual, dos atuais 140.000 t/ano passara a ter 320.000 t/ano, gerara mais de 400 empregos diretos na industria e mais de 7.000 empregos diretos no plantio e colheita.