Destaque »

Zema e ministros anunciam R$ 250 milhões para investimento em turismo e saneamento básico em Minas

10 de julho de 2020 – 17:36 |

Em uma agenda surpresa, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, concederam entrevista coletiva à distância na segunda-feira junto com o governador de Minas, Romeu Zema (Novo). …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Destaque

Filme de Beja será rodado em Araxá

Após a gravação de 80% das cenas do longa-metragem ‘Vazio Coração’, filme ‘Beja’ será gravado aqui em Araxá, apresentando a história de uma das mais ilustres figuras da cidade, a famosa Dona Beja.

 Depois da gravação do longa-metragem Vazio Coração, do diretor Alberto Araújo, a cidade de Araxá será palco da história de uma ilustre figura de Araxá, Dona Beja. O longa-metragem, intitulado como “Beja”, terá direção e roteiro de Débora Tôrres e Lúcia de Abreu. A novidade foi anunciada em entrevista coletiva concedida à imprensa, na última quarta-feira, 26, no Museu Dona Beja.

Débora Tôrres, que foi a produtora executiva do filme Vazio Coração, será a diretora e dividirá o roteiro com Lúcia de Abreu, que trabalha há 25 anos na Rede Globo. A história será elaborada em cima de pesquisas históricas que têm como pano de fundo o cenário político da época. “Foi conversado com a secretária Alda Sandra de se filmar a história de Dona Beja de acordo com a realidade histórica do País da época. Fazer um filme que fosse realmente um grande épico que retratasse a vida dessa mulher corajosa, ousada, forte e vencedora. É um projeto antigo. Não falei desse projeto antes. Não era o momento, porque estava com o ‘Vazio Coração’ e, em decorrência do filme, tínhamos o objetivo de realizar um festival de cinema aqui em Araxá”, disse Débora.

A elaboração do roteiro contará também com a colaboração de diversos especialistas e historiadores araxaenses como a escritora Neli Alves de Ávila, autora do livro “Segredos de Beja” e da radionovela “Dona Beja” e a escritora Lourdes Zema, que em breve lançará um livro histórico sobre Dona Beja. “Elas são as nossas colaboradoras para o roteiro que comecei a desenvolver junto com a Lúcia Abreu, sobre um dos maiores mitos femininos do Brasil. A partir do momento que implantamos o festival de cinema, começamos a trabalhar nesse filme que irá chamar ‘Beja’. O trabalho de pesquisa já começou e vai até final de outubro realizado em cima da obra literária de historiadores que realmente lançaram livros sobre o panorama político mineiro no séc. 19”, comentou Débora Tôrres.

A previsão feita pela cineasta é de que até o dia 15 de dezembro se tenha o roteiro todo formatado. “Com tudo pronto, nós começaremos pelo trabalho de locação, enquanto evidentemente colocamos o projeto no Ancine [Agência Nacional do Cinema], pois é um filme de longa-metragem para entrar em cartaz nos cinemas brasileiros. Está previsto captar para toda a produção do filme R$ 5 milhões”, salientou.

A personagem-título será interpretada pela atriz Thaís Pacholek conhecida por sua participação no “Programa Sílvio Santos” (Jogo dos Pontinhos) e novelas como “Amor e Revolução” (SBT), “Vende-se um véu de noiva” (SBT), “Amigas e Rivais” (SBT) e mais recentemente em “Balacobaco” (TV Record). “Depois de um trabalho de busca que fiz em relação ao papel principal, decidi por ela porque acho que ela tem essa carga dramática, além de ser jovem e bela, é muito talentosa para atuar no cinema como ‘Beja’. Nós teremos muitos grandes artistas aqui. Lima Duarte é um ator que vai está dentro do roteiro, Oscar Magrini também, Tuca Andrada, enfim, grandes artistas serão contratados para fazer essa grande obra. Eu escrevo de quem conheço, pois, fica fácil de chamar os atores e atrizes certos para determinados papéis”.

Segundo a cineasta, as gravações do filme ocorrerão em vários pontos turísticos de Araxá. “Nós temos até o Horizonte Perdido em uma das sequências do encontro dela [personagem de Thaís Pacholek] com o grande amor de sua vida, sequências rodadas dentro da Igreja de São Sebastião. A gente vai fazer ainda uma pesquisa aqui de todo o centro histórico, mas o Museu Dona Beja será também a locação do filme. Brevemente vou fazer um ensaio fotográfico aqui que vai ser filmado nacionalmente com a atriz Thaís Pacholek”, informou.

A cineasta ainda acrescentou que a previsão das filmagens é para o segundo trimestre de 2013. Neste mesmo período, serão abertas as inscrições aos interessados a participarem da gravação do filme na Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB). Antes de entrar em cena, ocorrerá o processo de seleção, que será no teatro municipal, da Avenida Antônio Carlos.

1° Araxá Cine Festival

 A 1ª edição do Araxá Cine Festival também foi assunto na entrevista coletiva desta quarta-feira. Débora Tôrres salientou que o objetivo do festival, que era fomentar o turismo na cidade, foi alcançado, com a promoção de cerca de 30 atrações. Em média, 10 mil pessoas estiveram prestigiando todas as atrações do festival, que não será realizado mais em setembro, e sim no 1° semestre de 2013, com toda a sua programação promovida no teatro municipal recentemente construído na Avenida Antônio Carlos.

“Estando no 2° semestre, a gente está perto do festival de Gramado, uma semana de datas com o festival de Gramado, mas o festival do Rio avançou um pouco, entrou no mês de setembro, o festival de curtas de Brasília foi para o dia 17, então ficaram muitos festivais importantes colados no festival de Araxá. Esse distanciamento de datas é bom para a gente, porque muitas pessoas que estarão lá vai estar aqui também e para nós é muito importante”, contou a cineasta, que foi idealizadora do 1° Araxá Cine Festival.

Atrações como o festivalzinho destinado às crianças, Mostra Curta Minas, com filmes de curta-metragem do Estado, curtas araxaenses que valorizem a produção artística local irão continuar na segunda edição. Débora Tôrres pretende entrar com a Mostra Internacional de Cinema para 2013, promover a Mostra Regional com produções de cineastas de municípios vizinhos e implantar o júri popular, por meio do qual a população local poderá participar da escolha de seus filmes prediletos. “Na primeira edição já houve muitos pedidos para nós, pois todos querem divulgar a sua produção em um festival de cinema e também participar da escolha do seu filme favorito. Em breve, queremos divulgar mais novidades sobre a segunda edição do festival”, encerrou.