Destaque »

“Grande Arraiá” anima o fim de semana com música, dança, humor e comidas típicas

17 de julho de 2019 – 11:57 |

Evento com entrada gratuita será realizado no pátio da Fundação Cultural Calmon Barreto
 
Caldos, churrasco, quentão, pastel? Tem.
Quadrilha pra quem for e pra ver? Não falta.
Humor e os …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Educação

Sempre Um Papo: Pierre Ruprecht e as experiências inovadoras

O Sempre Um Papo e a CBMM trouxeram à Araxá na noite da última terça feira, dia 02 de abril, o gestor Pierre André Ruprecht, diretor-executivo da Associação Paulista de Bibliotecas e Leituras (SP Leituras), ONG que administra a Biblioteca de São Paulo  e a Biblioteca Parque Villa-Lobos.  O evento foi realizado no salão do Tribunal do Juri do Uniaraxá, onde  Pierre abordou o tema  “O Papel da Biblioteca Pública na Atualidade”.  Durante quase duas horas, mais de 100 pessoas entre alunos de pedagogia e arquitetura do UniAraxa  além de bibliotecários e comunidade em geral, aconpanharam com atenção a paestra de Ruprecht.  Ele  apresentou um vídeo com as experiências inovadoras das Bibliotecas de São Paulo e Biblioteca do Parque Villa Lobos, que ele administra. As unidades foram premiadas internacionalmente pelo modelo de inovação e interação. Segundo ele hoje as bibliotecas e museus tem deixar criar formas de atrair o público com atividades que vão além do livro.  O gestor  também  fez uma reflexão profunda  em sua palestra, onde destacou que “ Estamos vivendo uma época de mudanças sem precedentes, e as bibliotecas públicas contemporâneas de destaque, em todo o mundo, assumem desafios de grandes proporções no que tange à sua missão e sua interação com a comunidade em que se inserem. Têm se transformando em espaços vibrantes de conexão cultural. Relacionar-se com as diversas pessoas, comunidades e tribos (ou comunidades simbólicas) que ocupam seu espaço, e também sair do confinamento de seus muros são necessidades prementes. A partir dessas necessidades, como podem as equipes que formam, gerem e animam a biblioteca pública estruturar-se e propor seu trabalho? Como pensar o papel da biblioteca pública contemporânea? “