Destaque »

Começou o Fliaraxá 2017: Até domingo Araxá respira arte, cultura e conhecimento

17 de novembro de 2017 – 21:43 |

O Ministério da Cultura e o Circuito CBMM de Cultura estão apresentando  a sexta edição do Fliaraxá – Festival Literário de Araxá, que teve início na última quarta-feira, dia 15 de novembro de 2017 e …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Educação

Projeto Fazendo História vai atender crianças e adolescentes de 08 a 17 anos em Araxá

Em entrevista ao JORNAL INTERAÇÃO, o professor do Uniaraxá, Luiz Fernando Castro, apresentou detalhes do ‘Projeto Fazendo História’, que vai atender de graça crianças e adolescentes de 08 a 17 anos. De acordo com as informações do professor, “a  adolescência é um período de desafios permanentes, inquietações e turbulências. E é neste momento, que adolescentes se veem diante de tantos obstáculos e que por muitas vezes tentam achar respostas, bem como, um rumo na vida. No entanto, quando mal orientados ou até mesmo, sem oportunidades de envolvimento com alguma estratégia que os afaste de diversos males, eles normalmente entram em contato com outro grande desafio: o mundo das drogas.   O mundo das drogas é um mundo complexo e amplo e se trata de um mundo real, presente no dia a dia de cada um de nós. O uso de drogas é um fenômeno sociocultural complexo, o que significa dizer que sua presença em nossa sociedade não é simples. Não só existem variados tipos de drogas, mas também são diferentes os efeitos por elas produzidos e a adolescência, período este marcado por mudanças e curiosidades sobre um mundo que existe além da família, o que representa um momento especial, no qual a droga exerce forte atrativo.” Ele afirma que, “ Faz-se necessário, portanto, ações educativas, de prevenção, de conscientização de todos os envolvidos, além de estratégias inovadoras que auxiliem no combate e afastamento destes males. A atividade física, a avaliação e acompanhamento terapêutico tem se mostrado importantes instrumentos diferenciados para encarar esta triste realidade.” Luiz Fernando explica que “ a proposta de atuação e intervenção do Projeto Fazendo História será destinada a crianças e adolescentes de 08 a 17 anos, que se encontram inseridos em áreas de risco e vulnerabilidade, e que necessitam de direcionamentos e oportunidades para o seu desenvolvimento integral desde físico até social, com foco em ações de combate e ao acesso às drogas de qualquer natureza.As ações propostas estão alicerçadas no ECA a fim de que os Direitos da Criança e do Adolescente, o convívio familiar e social, sua relação com a sociedade sejam assegurados e garantidos. E ainda, um foco no direcionamento da formação comportamental cidadã e da percepção de uma vida melhor por meio da atividade física com estratégia para instrumentação do conhecimento, combate e uso de drogas e melhoria da qualidade de vida. O projeto será composto por frentes de atuação, destinadas à produção de conhecimento, conscientização e a instrução em relação à prevenção do uso de drogas (lícitas e ilícitas), bem como, o acompanhamento assistencial (por meio de Fisioterapia, Serviço Social e Psicólogo) para intervenção necessária frente à saúde física e mental, e o reconhecimento de comportamentos de risco no contexto familiar. Serão ofertadas atividades de capacitação, qualificação técnica, lúdicas, artísticas, de lazer, diversão, avaliação e acompanhamento terapêutico, além da inclusão de práticas  desportivas e inclusão digital como estratégia e fator de promoção do desenvolvimento integral, e melhoria da qualidade de vida e saúde de pré-adolescentes e adolescentes vulneráveis socialmente”. Os principais objetivos são: Demonstrar como o esporte pode ser um grande aliado na prevenção e no auxílio do combate ao uso de drogas, aliando a ações de promoção de acompanhamento psicológico, assistencial e fisioterapêutico de adolescentes em vulnerabilidade social e/ou pertencentes a áreas de carência em oportunidades no incentivo à prática de atividades físicas diferenciadas e sua formação profissional. Promover a inclusão social de adolescentes em situação de vulnerabilidade social, visando à melhoria da qualidade de vida, saúde física e mental, e capacitações profissionais, por meio de ações que contribuem para sua formação pessoal e qualificação técnica e profissional. Garantir ações de fortalecimento e atendimento aos Direitos da Criança e do Adolescente, com ênfase na mobilização social e na articulação para a defesa dos direitos da criança e do adolescente. Discutir as questões da droga em âmbito mundial e nacional, promovendo a conscientização e capacitação em relação à prevenção do uso das mesmas, bem como reconhecer comportamentos de risco no contexto familiar, pessoal e escolar. Complementar as ações da família, comunidade na proteção e desenvolvimento de crianças e adolescentes e no fortalecimento dos vínculos familiares e sociais; Possibilitar a ampliação do universo informacional, artístico e cultural dos jovens, bem como estimular o desenvolvimento de potencialidades, habilidades, talentos e propiciar sua inclusão e formação cidadã, com vistas a sua inserção profissional e social. Promover prática de intervenção artísticas, lúdica, física e terapêuticas frente ao desenvolvimento de capacidades físicas e habilidades motoras, proporcionando a conscientização em relação à estrutura corporal e a prevenção do uso de drogas, bem como o reconhecimento dos principais riscos no contexto global de saúde. Contribuir para a inserção, reinserção e permanência do jovem no sistema educacional. Esclarecer e instruir psicologicamente adolescentes, jovens, pais e educadores quanto aos perigos do uso das drogas e suas principais consequências junto ao seu organismo e a vida. Proporcionar momentos de aprendizagem, lazer, diversão e acompanhamento terapêutico sistematizado através de acompanhamentos psicológicos e assistenciais, de intervenção fisioterapêutica e da prática da atividade física, como fator de inclusão, promoção do desenvolvimento integral e melhoria da qualidade de vida e saúde de pré-adolescentes e adolescentes.