Destaque »

Cientistas descobrem Cobras que voam 24 metros

12 de julho de 2020 – 1:27 |

As chamadas cobras voadoras são capazes de ondular seus corpos enquanto deslizam pelo ar, e esses movimentos únicos permitem que elas voem, descobriram os cientistas. O animal, chamado de Chrysopelea paradisi, também conhecido como “a …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Destaque, Diversos

Brasileiro de Parapente em Araxá define campeão neste sábado

voo-livre-2016-7O voo livre é um dos esportes que mais emociona quem pratica e encanta quem tem a oportunidade de assistir. É um conjunto em que homem e equipamento conseguiram realizar o sonho do ser humano de voar livremente como os pássaros. Desde o último domingo, dia 4, 106 pilotos de parapente estão participando da última etapa do Campeonato Brasileiro de Parapente, trazendo muita emoção e beleza, enfeitando os céus da cidade e da região. A rampa Horizonte Perdido, local de decolagem, é considerada uma das melhores do País em estrutura e condições favoráveis para prática do voo. Com 22 anos de prática do esporte, Araxá já conquistou repercussão nacional e internacional. A cidade detém várias performances de voos que superam os 200 km de distância, altitudes acima dos 4 mil metros e voos com mais de 7 horas de duração. Araxá conquistou, assim, lugar definitivo entre o seleto grupo de cidades que possuem condições ideais para prática de voo livre.

O feriado de 7 de setembro é uma época escolhida pelo clube por ser uma data cujas condições climáticas na região são muito boas, com sol forte e muita formação de ascendentes térmicas, o combustível para realização de grandes provas.

Prova 01voo-livre-2016-3

O primeiro dia de prova foi de muita expectativa; o dia iniciou com sol e ventos fortes, e, rapidamente, as formações prometiam um dia muito bom para realização da prova. Antes de cada prova, uma comissão formada por organizadores e pilotos define qual prova ideal para aquele dia. Foi definido goal, em Arraial de São João, no portal de entrada do Parque Nacional da Serra da Canastra, com 75 km de distância. Confirmando o acerto da comissão de prova, 62 pilotos conseguiram chegar no goal. O vencedor do dia na categoria open foi Cristiano Ricci “Vermelho”, com menos de 1h38’ de prova, voando de Ozone Enzo 2 “Turbo Challenger”. Chegando em segundo, logo atrás, Marcelo Prieto (Cecéu), e, em terceiro, Rafael Saladini. Na categoria feminino, em primeiro chegou a piloto argentina Mou Yin Kao, em segundo, Ana Glécia, em terceiro, Eliana Alves. Pilotos aprovaram o nível da prova, e aqueles que ainda não conheciam o voo em Araxá ficaram impressionados com a condição de voo e a beleza natural da região.

voo-livre-2016-6Prova 02

O segundo dia de prova no Open Araxá apresentou vento forte, com formações de nuvens um pouco diferentes ao dia anterior, os chamados cirrus (camada fina de nuvem em alta altitude que atrapalha a formação de boas ascendentes térmicas). Aos poucos, a condição foi melhorando, e a comissão de prova novamente acertou, realizando uma prova de 64 km até a cidade de Sacramento, com 79 pilotos chegando no goal. Samuel Nascimento de Ozone Enzo 2 com o tempo de 1h e 17m foi o vencedor na categoria Open; em segundo, chegou Donizete Lemos e em terceiro, Albert Ramos. Na feminino, a argentina Mou Yin Kao venceu. Em seguida, chegou Eliana Alves e em terceiro, chegou a também argentina Silvina Marti.

Prova 03voo-livre-2016-10

A prova do dia 6 foi cancelada devido à mudança de direção do vento (Sul) que passou a entrar de cauda na rampa, o que impossibilita a decolagem dos pilotos, além de estar muito forte. Mesmo sem previsão de voo, a maioria do pilotos sobe até a rampa para curtir o lugar e aproveitar a estrutura do local.

Prova 04

Feriado da Independência levou um  grande público para a rampa Horizonte Perdido, que ficou maravilhado com o show de dezenas de parapentes enroscando em uma mesma térmica, proporcionando uma beleza incomum. Condições de voo perfeitas para realizar uma boa prova, a comissão definiu uma prova maior com 91km decolando na rampa, passando sobre o arraial da Argenita, sobrevoando o trevo de Ibiá na BR-262 e finalmente pousando ao lado do posto Xodó, na BR-262. Com 1:57:07, Clayton Resende venceu a prova, com Cristiano Ricci em segundo e Gustavo Serenini  em terceiro. Na categoria Feminina, a argentina Mou Yin Kao venceu, Ana Glécia em segundo e Eliana Alves em terceiro; quarenta pilotos chegaram no goal.

Serão mais três provas para o fechamento da etapa de Araxá, nos dias 8, 9 e 10, para Araxá conhecer o campeão do 19º Open de Araxá e o campeão Brasileiro de Parapente 2016. A expectativa para última prova neste sábado, dia 10, dependendo das condições do dia se possa realizar uma prova onde os pilotos ficarão voando praticamente o tempo todo nas redondezas da rampa, valorizando o grande público que deverá estar presente. A disputa pelo título de campeão brasileiro está muito apertada. Marcelo Prieto e Cristiano Ricci vêm alternando a liderança a cada prova  realizada em Araxá. Cristiano Ricci assumiu a liderança do campeonato após chegar em segundo lugar na prova do dia 7, na quarta-feira, superando o Marcelo Prieto que chegou no goal 14 minutos atrás do Cristiano; a diferença entre os dois pilotos, faltando as três provas até sábado, é de apenas  62 pontos – lembrando que estão em disputa 1.000 pontos por cada prova; outros pilotos podem surpreender e levar o título. A diferença entre o primeiro colocado e o sexto colocado é de apenas 148 pontos.
voo-livre-2016-12 voo-livre-2016-13 voo-livre-2016-14 voo-livre-2016-15 voo-livre-2016-16 voo-livre-2016-17 voo-livre-2016-18 voo-livre-2016-19voo-livre-2016-11