Destaque »

Ministério Público do Estado de Minas Gerais informa

10 de dezembro de 2018 – 16:21 |

2ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE ARAXÁ/MG
CURADORIA DE DEFESA DO CONSUMIDOR – PROCON-MG
Av. Tancredo Neves, n. 340, Vila Silvéria–Araxá-MG-CEP-38.183-380-Tel: 3662-6440-e-mail: pjaraxa@mpmg.mp.br
RECOMENDAÇÃO N. 11/2018
O PROCON ESTADUAL DE MINAS GERAIS, órgão integrante do Ministério Público do …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Araxá tem mais de 60 mil veículos; garante Asttran

Esta semana a reportagem do JORNAL INTERAÇÃO, esteve na sede da Asttran – Assessoria de Trânsito e Transporte de Araxá, setor ligado à Secretaria Municipal de Segurança Pública da Prefeitura de Araxá, para saber sobre as novas medidas que serão adotadas no trânsito da cidade. De acordo com o Coordenador Executivo da Asttran, Bruno Borges, a Assessoria está trabalhando no sentido de tornar o trânsito do município, mais ágil e seguro para todos. “ É muito importante, que a gente consiga acompanhar e monitorar as transformações e mudanças que o trânsito exigem  em função do crescimento da cidade. Nossos técnicos e agentes estão sempre em alerta, para receber as reclamações e sugestões de pedestres e motoristas.” Para o Assessor Trânsito Bruno Borges, a preocupação da Assessoria,  não é apenas com o tráfego nas vias centrais de Araxá. “ A gente também tem alguns  problemas dessa ordem nos bairros mais populosos da cidade. Muitos moradores solicitam a colocação de redutores de velocidade em ruas e avenidas da periferia, onde as vezes o excesso de velocidade é praticado com mais intensidade principalmente nos finais de semana.”

O trânsito do centro da cidade:

Segundo Bruno Borges, hoje em virtude do crescimento desenfreado e muitas vezes desordenado das cidades, fica mais difícil o controle e a implementação  das ações de sinalização e segurança nas principais vias das grandes metrópoles. “ Mas este não é um problema, apenas restrito às grandes cidades. Em Araxá, a situação é complicada nas ruas e avenidas centrais em função da concentração do comércio principal, com lojas, escolas, órgãos públicos e entidades financeiras ( bancos). Pra se ter uma idéia, no coração de Araxá, principalmente entre os setores das ruas e avenidas Senador Montandon e Antônio Carlos, englobando Getúlio, Vargas, Olegário Maciel,  Mariano de Ávila, Dom José Gaspar, Capitão Izidro e Calimério Guimarães, o fluxo de gente e de veículos é muito grande e até incompatível pelo o que suporta o setor.” Ainda sobre a área central, Bruno, disse que algumas medidas estão sendo tomadas pela Asttran, em conjunto com outros setores  responsáveis pela segurança e coordenação do trânsito por aqui. “ Estamos com um grupo de agentes de trânsito treinados e capacitados para orientar pedestres e condutores de veículos e ainda com poder de autuar os motoristas infratores.  De acordo com estudos, continuamos a realizar as sinalizações verticais e horizontais em toda a cidade, com mudanças de “mão”, alteração de conversão entre outros. Mas não podemos esquecer da segurança. Para evitar acidentes em decorrência do excesso de velocidade em vias de tráfego rápido, contamos ainda, com o auxilio de uma ferramenta indispensável, que são os radares eletrônicos instalados em vários setores da cidade, como nas avenidas Imbiara, Pedro de Paula Lemos, Wilson Borges, João Paulo Segundo, Senador Montadon e Getúlio Vargas.”

Mais de 60 mil automóveis:

Para o Assessor Municipal Bruno Borges, a quantidade de veículos, que circula  diariamente em Araxá, também contribui para que o trânsito na região central da cidade se complique a cada dia. Ele acrescentou, que hoje o município de Araxá é um dos recordistas em número de carros em relação a maioria das cidades de Minas Gerais,  levando-se em conta a proporcionalidade em relação ao numero de habitantes. “ Nos temos em Araxá, atualmente mais de 60 mil veículos circulando nas ruas e avenidas de nossa cidade todos os dias. São número que certamente tornam o nosso trânsito mais complicado, causando alguns transtornos e reclamações por parte dos moradores, pedestres e principalmente dos motoristas.”