Logo Jornal Interação

Coluna do Daniel de Freitas

22//04/2022- 15:09

PorEditor1

abr 22, 2022


Coluna do Daniel de Freitas
Cleptocracia.

O Brasil não é mais uma democracia há muito tempo. Vivemos sob um regime cleptocrático. Atualmente uma cleptocracia comandada pelo Supremo Tribunal Federal que conta, dentre outros, com a conivência de parte do Congresso Nacional, em especial pelo Senado Federal e com o crápula do presidente dessa instituição, o senador mineiro Rodrigo Pacheco, que somente pensa em seus interesses, jamais nos interesses dos seus representados.
Cleptocracia é pior que o regime oligárquico. Nesse, uma elite tenta se apoderar do país, para usar os recursos públicos, como vinha fazendo a esquerda, recursos que deveriam ser restituídos à população sob forma de serviços. É um grave problema, mas a cleptocracia é pior.
Na cleptocracia que domina o Brasil, os poderosos usurpadores vão muito além. Implantam medidas sob disfarces legais para subtrair o direito do povo de eleger seus representantes, apelam para medidas ilegais mesmo, desrespeitam a Constituição Federal, subtraem também a liberdade de expressão do povo e, quando pensarmos em reagir, já não haverá mais o que fazer.
Um caso típico dessa postura antiética ocorreu ontem, quando um ministro do STF determinou a paralisação da plataforma digital Instagram. Decisão seguida de nove exigências para que a plataforma possa voltar a funcionar. E lendo essas exigências não resta dúvida que a decisão é exclusivamente política, contra o atual Chefe do Executivo e de seus apoiadores. Fazendo o impossível para derrubar o Presidente eleito pelos brasileiros. Inadmissível prejudicar todos os usuários da plataforma, salvo engano mais de 70 milhões de pessoas, por um motivo tão vil.
Alguns senadores esboçaram uma reação, mas o presidente do Congresso Nacional não toma qualquer posição a favor da população. Ao contrário, está apoiando iniciativas de outro Supremo, para mudar as regras que permitem processos contra ministros do STF, ou seja, passo após passo estão solidificando o processo cleptocrata. Querem nos transformar numa nova Venezuela.
Por sorte, temos um Presidente se opondo corajosamente aos cleptocratas e, felizmente, temos as Forças Armadas a apoia-lo. Para ser justo tenho que mencionar que temos, não muitos, mas temos bons deputados federais e bons senadores, que auxiliam o Presidente nessa luta para recolocar o Brasil nos trilhos. O que podemos e precisamos fazer nas próximas eleições, além de reconduzir o atual Presidente ao cargo, reconduzir os políticos que o apoiam e escolher bem em quem votar para deputados federais e senadores. Temos que eliminar os tradicionais políticos que estão comprometidos com essa estrutura deletéria. Temos que ser perspicazes bastante para não nos iludirmos com mentirosos corruptos que já fizeram muito mal ao Brasil.
Em paralelo temos que nos posicionar perante o atual Congresso Nacional. Temos que deixar claro que eles são obrigados a reagir ás ações do STF. Não vamos permitir que o ativismo político do STF prospere. O Senado tem a obrigação de colocar um ponto final nas atividades políticas do poder judiciário.
Óbvio que o STF, cuja maioria dos integrantes reza pela cartilha da esquerda, quer o maior ladrão de todos os tempos de volta ao poder. De forma nunca vista no mundo, o STF derrubou todas as condenações de Lula e o reabilitou politicamente. E, se essa corja quer o Lula de volta, eu não quero. Espero que meus conterrâneos também não queiram.

Por Editor1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.