Destaque »

5° Fase da Operação Malebolge cumpre 40 mandados de busca e prende uma pessoa em Araxá

23 de outubro de 2020 – 14:58 |

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, hoje (23), a 5ª fase da operação Malebolge. Os policiais civis lotados na Ciretran de Araxá cumpriram 40 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

17° Open de Voo Livre de Araxá proporciona esporte e turismo de aventura em 9 dias

Evento fez parte da 2ª etapa do Campeonato Brasileiro de Parapente e foi considerado um grande sucesso pela organização.

No último sábado, 8, teve fim a 17ª edição do Open de Voo Livre, que fez parte da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Parapente. Em todas as categorias, foi observado, pela maioria dos pilotos, que esta foi a etapa mais disputada nos últimos anos, sendo que a rampa do Horizonte Perdido proporcionou a oportunidade de se realizarem grandes voos. Na prova de sábado, foi elaborada uma prova de contravento, criando, assim uma dificuldade e com 82 km, apesar de ter a possibilidade de escorar na cordilheira, não foi tão fácil quanto aparentava.

O piloto Érico Oliveira, do Rio de Janeiro, conseguiu completar a prova do dia em 2h12min e recebeu a saudação do público presente. Na categoria open, Donizete Lemos, Bigode, foi o grande campeão, com 4.837 pontos nos sete dias de disputa. Já o piloto Alessandro Heringer de Jesus se sagrou campeão da etapa em duas categorias. Na serial, ele somou 3.914 pontos, enquanto na sport, ele alcançou 3.914 pontos. No feminino, a piloto Domenica Tacacenco liderou a prova nos 5 dos 7 dias de competição e conquistou o campeonato, com 2.939 pontos.

Lembrando que as duas notas mais baixas de cada piloto são eliminadas para se chegar ao resultado final. Confira os resultados:

Open

# Id Name T 1 T 2 T 3 T 4 T 5 T 6 T 7 Total
1 14 DONIZETE B. LEMOS 1000 984 932 783 967 954 415 4837
2 19 FRANK BROWN 956 949 997 862 965 935 925 4802
3 22 GUSTAVO DE OLIVEIRA FERREIRA 954 975 560 914 979 957 83 4779
4 3 ALFIO JNR VEGNI 954 938 930 916 956 856 543 4694
5 34 LUCIANO HORN 914 936 930 912 955 954 551 4689

Serial

# Id Name T 1 T 2 T 3 T 4 T 5 T 6 T 7 Total
1 1 ALESSANDRO HERINGER DE JESUS 795 447 628 765 791 808 755 3914
2 8 CARLOS WERNECK 484 591 484 776 736 761 835 3699
3 57 PABLO RODARTE 715 600 91 783 822 643 122 3563
4 35 SAMUEL FARIA 689 621 109 629 794 824 224 3557
5 65 ROLAND ZGRAGGEN 492 698 515 690 807 811 500 3521

Sport

Id Name T 1 T 2 T 3 T 4 T 5 T 6 T 7 Total
1 1 ALESSANDRO HERINGER DE JESUS 795 447 628 765 791 808 755 3914
2 8 CARLOS WERNECK 484 591 484 776 736 761 835 3699
3 35 SAMUEL FARIA 689 621 109 629 794 824 224 3557
4 138 EDUARDO JOHANN 798 444 618 137 830 132 463 3153
5 87 HERCULES FIGUEIREDO MIGUEL JUNIOR 437 589 752 616 718 466 3141

Feminino

# Id Name T 1 T 2 T 3 T 4 T 5 T 6 T 7 Total
1 13 DOMENICA TACACENCO 385 427 91 778 727 622 33 2939
2 70 ANA GLECIA CHAVES 64 122 139 136 296 174 0 867
3 86 KARINA GUARINI FURUZAWA 64 0 64

No ranking geral, o campeão brasileiro e pela décima vez foi o capixaba Frank Brown, (Ozone Enzo) na categoria open. Na categoria feminina, novamente campeã brasileira de 2012, foi Domenica Tacacenco (Gin Boomerang GTO). Na categoria sport e levando ainda na categoria serial, foi o carioca Carlos Werneck (Skywalk Cayenne 4).

Além de sol e muita adrenalina para os pilotos, a rampa do Horizonte proporcionou muita música e diversão para os visitantes. Na rampa, foi montada toda uma infraestrutura e programação para atender todo o público e os pilotos da competição. Sombra e água fresca, além de muita energia positiva, músicas ao vivo e chopp. As noites iniciavam muito bem, pois todos os dias foram de muita festa. “A cada ano, o evento vai melhorando mais. Os pilotos estão ressaltando a qualidade da competição que está muito melhor. A infraestrutura que temos aqui é a melhor dos últimos anos com uma música, diversão e entretenimento para todos”, colocou o organizador do evento, Nasser Abdanur.

“Nós estamos adorando o evento. A estrutura proporcionada pela organização está excelente. Sou fã do voo livre e gosto sempre de ver os pilotos desfrutando dessa paisagem natural”, afirmou o artefinalista Josafá Pereira de Almeida, turista de São Paulo. “Venho todos os anos por causa da parte do entretenimento, que é sempre variada”, salientou a educadora Lilian Vasconcelos.

De acordo com o piloto de Mogi das Cruzes (SP), Washington Peruche, o evento estava incrível. “O nível técnico dos pilotos que estão participando é bastante alto, a condição está excelente, já estamos no fim do campeonato e não me lembro de um campeonato que desse sete dias diretos de prova. A gente, às vezes, tem um dia cancelado pela condição do clima, e aí você disputa quatro ou cinco provas. Está sendo muito bom.”, ressaltou o piloto.

O piloto de Araxá Leonardo Pereira dos Santos, mais conhecido como Branco, esteve participando do voo livre, na categoria open e comentou que trazer o campeonato para setembro foi uma das melhores estratégias adotadas pela organização devido às condições climáticas encontradas por mais de 80 atletas. “As condições climáticas foram superfavoráveis, proporcionando voos de altíssima qualidade e com vários pilotos completando provas e batendo recordes pessoais. Embora não pudesse estar presente todos os dias, consegui realizar alguns voos e curtir um pouco da emoção de participar de um campeonato brasileiro. Enfim, ter a oportunidade de voar com mais de oitenta pilotos num mesmo voo é algo indescritível, a sensação é de um intenso prazer, simplesmente fantástico”, colocou.

Nasser complementou que o Open de Voo Livre de Araxá tornou-se um dos maiores eventos internacionais da região. “Araxá conquistou um lugar definitivo entre o seleto grupo de cidades que possuem condições ideais para prática de voo livre. Em relação aos pilotos, esse está sendo um dos maiores campeonatos que já teve em toda a história do Brasil e do mundo. Sete dias com alto nível de voo, distâncias longas e mais 50 pilotos no goal todos os dias, é uma coisa impressionante, tirando toda a estrutura que está fenomenal de stand, bar, som, resgate, tudo perfeito”, destacou Nasser.

O evento foi encerrado no domingo, 9, e, segundo a organização, cerca de 700 pessoas compareceram ao 17° Open de Voo Livre diariamente. “É uma das melhores estruturas que já se teve em evento de voo livre no Brasil comentada pelos pilotos e a gente está pensando em trazer um pré-mundial, um mundial para Araxá, porque a cidade tem todo um potencial e eu acredito nisso”, finalizou.