Destaque »

Inscrições para o Programa de Trainee 2021 da CBMM terminam dia 28 de outubro

17 de outubro de 2020 – 21:34 |

A CBMM está com inscrições abertas para seu Programa de Trainee 2021, destinado recém-formados nas áreas de engenharia de materiais e engenharia metalúrgica. Com foco em desenvolvimento de lideranças, o programa terá duração de um ano e será realizado …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Saúde

Estudos dizem que quase metade da população tem ou terá problema com hemorróida

O intestino mais preguiçoso da mulher e a gravidez estão entre os principais motivos que levam aos problemas de hemorroida, dilatação de um ou mais vasos sanguíneos do ânus. Esse mal, mais comum entre adultos e mulheres, pode ser prevenido com hábitos mais saudáveis, como obedecer a vontade de ir ao banheiro, não deixando isso para depois, como muitos fazem em meio à correria do dia a dia. As orientações são da coloproctologista (especialista em cuidar de doenças do intestino e do ânus) Ilma Nogueira Gama, que confirma estimativas internacionais assustadoras. Estudos ingleses e americanos comprovam que quase metade da população mundial com mais de 30 anos tem ou terá problemas de hemorroida. A especialista acaba de lançar, junto a outros colegas, um site que pode ajudar em tempos de crise, o hemorroidurgente.net, cujo objetivo é oferecer serviço médico a quem sofrem desse mal e não sabe como procurar ajuda. “Com apenas dois cliques, a pessoa escolhe o médico e o horário. A consulta é particular, mas com preços acessíveis para a maior parte das pessoas”, diz. Segundo a médica, a principal causa dos problemas de hemorroida é o intestino ressecado, o que pode ser melhorado com a ingestão de água e de alimentos ricos em fibras. Um mito desmentido por Ilma é de que o sexo anal provoca a inflamação. “O sexo anal que a pessoa tolera bem, consentido, e que a pessoa não se sente constrangida e nem intimidada, não faz mal”, garante. No caso das grávidas, explica, à medida que o bebê cresce, força as veias do ânus. A hemorroida é classificada em quatro graus, conforme o tamanho. A coloproctologista afirma que são minoria os casos em que a cirurgia é necessária. “Todo mundo foge da consulta com medo de cirurgia, mas a maioria é tratada com pomada.” É preciso ressaltar, porém, que a automedicação não deve ser feita. Ilma alerta que nem todo sangramento anal é um problema de hemorroida, e que o diagnóstico só pode ser feito pelo médico. “Seis problemas podem fazer com que o ânus sangre”, pondera.