Destaque »

Comandante da Capitania Fluvial de Minas Gerais visita Araxá

20 de fevereiro de 2020 – 19:24 |

A Capitania Fluvial de Minas Gerais, com sede em Belo Horizonte desde dezembro de 2018, está ampliando sua área de atuação e deve instalar unidades no Triângulo Mineiro e região do Rio Paranaíba. No …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Saúde

Risco de coronavírus se tornar mais disseminado pelo mundo continua alto, segundo a OMS

 

WUHAN, CHINA – JANUARY 22: People wear face masks as they wait at Hankou Railway Station on January 22, 2020 in Wuhan, China. A new infectious coronavirus known as “2019-nCoV” was discovered in Wuhan last week. Health officials stepped up efforts to contain the spread of the pneumonia-like disease which medical experts confirmed can be passed from human to human. Cases have been reported in other countries including the United States,Thailand, Japan, Taiwan, and South Korea. It is reported that Wuhan will suspend all public transportation at 10 AM on January 23, 2020. (Photo by Getty Images)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou esta semana, que o risco do coronavírus se tornar mais disseminado mundialmente continua alto. Analisando o atual estágio da doença, já considerada uma emergência global de saúde pública, a entidade estimou que a comunidade internacional terá de investir, entre fevereiro e abril deste ano, aproximadamente US$ 675,680 milhões em políticas públicas para ajudar países a conter o surto de coronavírus. Em painel da organização, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, fez um chamado aos Estados-membros para o desenvolvimento de diagnósticos, remédios e vacinas que possam manter o surto “sob controle”. “Também estamos aprimorando nossa comunicação para conter a disseminação de rumores e desinformação”, ressaltou. A cúpula da OMS também destacou que os casos fatais de contaminados estão associados a pessoas com mais de 60 anos – ou seja, que integram um grupo de risco – e que medidas para evitar impactos socioeconômicos da doença não estão no escopo da instituição. De acordo com a entidade, ainda não está claro qual animal deu origem ao coronavírus. Até o fechamento desta edição o Brasil  tinha 11 casos suspeitos da doença.