Destaque »

Delegacia Rural de Araxá é a primeira de Minas

11 de novembro de 2019 – 17:17 |

Para dar mais efetividade ao combate de crimes patrimoniais que ocorrem na zona rural, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) inaugurou, nó último dia 7 de novembro, um espaço com as …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Destaque

Grupo Internacional visita empresa em Araxá visando incrementar negócios

Diretores da empresa AL MASIRAH  INTERNATIONAL, sediada em Jeddha na Arábia Saudita visitaram nesta semana as instalações da GRAN MILHO CORRETORA DE GRÂOS LTDA de Araxá, com objetivo de encontrar oportunidades de negócios no fornecimento de milho com expectativa de 100 mil toneladas, soja também em torno de 100 mil toneladas,  além de outros produtos como Açúcar, feijão, café e Boi em pé.  Fizeram parte da comitiva representantes da Câmara Brasil Árabe de Comércio. De acordo com os diretores da Al Masirah International, a empresa, inaugurará em breve a maior fábrica de derivados especiais do Milho no Oriente Médio, o que trará a necessidade para a demanda desse produto. A visita se estendeu também por algumas fazendas onde o Grupo planta cereais demandados por eles. Segundo os empresários Sauditas, é a primeira vez que visitaram uma propriedade rural onde  conheceram o processo de produção agrícola de soja “ in loco ”; todos ficaram muito impressionados com o que viram e com a qualidade das terras brasileiras. Comentaram também que, assim que for permitida pelo governo brasileiro, existe um interesse muito grande na aquisição de terras produtivas no Brasil. A GRAN MILHO é uma das empresas do grupo que atua na área de recepção, estocagem e    comercialização de grãos, tendo produtores rurais da região como seus principais fornecedores, as principais “trades” internacionais e grandes empresas locais como sues principais clientes. Além da GRAN MILHO, o grupo também atua no Agro Negócio, através de um condomínio denominado GRAN SAFRA, com plantio de vários cereais em áreas próprias, arrendadas e em parceria com vários produtores rurais. De acordo com o sócio do grupo brasileiro, Antônio Gilberto, com a possibilidade de realização de negócios com os empresários Sauditas, criou-se uma expectativa muito positiva de investimento, na ordem de crescimento quatro vezes o volume negociado hoje, a nova demanda atingirá mais que o volume de milho produzido na região, envolve também um investimento na capacidade de recepção e logística.

A Comitiva foi recebida pelos sócios das empresas, Antônio Gilberto, Eduardo Roxo Nobre, Felipe de Sandre, Gustavo Guimarães Vasconcelos e Vicente Roxo  Nobre.

A comitiva da empresa Almasirah foi formada pelos diretores: Zayed e Saddamt.

Reperesentou a Câmara de Comércio Árabe: Mohamad H. Mazloum.

Sobre o milho  e a soja

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou no dia 10 de outubro, que a safra de 2019/2020 de grãos no país deve ser recorde. Segundo o primeiro levantamento do órgão para essa safra, a produção brasileira está estimada em 245,8 milhões de toneladas, com aumento de 1,6% em relação ao período anterior. Quanto à previsão da área plantada total no país, a expectativa da companhia é que sejam cultivados 63,9 milhões hectares, uma variação para mais de 1,1% em comparação à safra 2018/2019.

MILHO

Em relação ao milho, a safra total chega a quase 100 milhões de toneladas. Houve aumento na segunda safra, com crescimento de 36,9% e previsão de produção recorde de 73,8 milhões de t, com 26,2 milhões de t, na primeira safra. No quadro de oferta e demanda da Conab, o produto mostra ainda uma expectativa de exportação recorde, de quase 35 milhões de toneladas.

 

SOJA

A produção brasileira de soja deve puxar o recorde. São estimados 120,4 milhões de toneladas, aumento de 4,7% ante o ciclo anterior. Além de uma recuperação na produtividade média, após uma safra afetada pela seca em alguns Estados, a Conab projetou aumento de 1,9% na área plantada de soja, para 36,6 milhões de hectares. Com isso, o Brasil pode se tornar o maior produtor global da commodity em 2019/2020, passando os Estados Unidos.