Destaque »

Fiscais da Vigilância Sanitária de 8 cidades participam de oficinas em Araxá

21 de maio de 2019 – 16:42 |

Os profissionais que trabalham com fiscalização no setor de Vigilância Sanitária na Microrregião do Planalto de Araxá se reuniram no último final dee smeana.  Nos encontros as equipes participaram de oficinas onde …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Educação

Projeto “Reinventando o Ensino Médio” será desenvolvido em Araxá a partir de 2013

A Escola Estadual Dom José Gaspar será a 1ª escola a receber esse projeto do governo do Estado, com a expectativa de beneficiar 360 alunos que estudam no 1° ano do Ensino Médio.

A cidade de Araxá será contemplada com um projeto do governo, da Secretaria Estadual de Educação, a partir de 2013. É o “Reinventando o Ensino Médio”, que tem como objetivo preparar melhor o jovem que deseja entrar no mercado de trabalho após o término dos estudos. As atividades não estão voltadas somente a vestibulares. Para o ano que vem, 120 escolas foram selecionadas a receber esse projeto. Dentre elas, a Dom José Gaspar, que faz parte da rede estadual de ensino de Araxá. As escolas foram selecionadas com base em critérios geográficos e aritméticos, que levaram em consideração, sobretudo, as escolas que possuem o maior número de alunos matriculados no Ensino Médio, iniciativa que faz parte da segunda etapa do projeto, que contempla todo o Ensino Médio.

De acordo com a diretora da escola, Maria Cristina Cunha, a primeira etapa do projeto corresponde ao seu desenvolvimento em caráter experimental com 11 escolas da região metropolitana de Belo Horizonte. “O projeto em si é dar uma cara diferenciada ao Ensino Médio, uma significação maior. Hoje o aluno está terminando o 3° ano do Ensino Médio, com uma projeção de faculdade, de curso superior, de um prosseguimento. O que o governo quer é preparar melhor esse aluno para o mercado de trabalho. Não é um curso técnico que vamos oferecer”, esclareceu.

De acordo com o planejamento do projeto, o “Reinventando” prevê a criação de um horário extra de estudos, incluindo matérias voltadas para o mercado de trabalho nas áreas de “Tecnologia da Informação”, “Comunicação Aplicada” e “Turismo”. No primeiro ano do Ensino Médio, entre as disciplinas de empregabilidade do curso de Comunicação Aplicada estão ‘Comunicação e Sociabilidade’ e ‘Mídias e Redes Sociais’. Para a área de Tecnologia da Informação, os alunos contam com disciplinas como ‘Computador e Comunicação’ e ‘Jogos e Mídias’. Já os estudantes de Turismo estudam ‘Meio Ambiente e Turismo’, ‘Atratividade Turística’, ‘Impactos do Turismo’, entre outras.

A diretora explicou que o projeto vai continuar trabalhando o currículo básico comum (CBC) para a formação básica do aluno no Ensino Médio, ou seja, 1°, 2° e 3° anos terão seus currículos mantidos. “O aluno do 1° ano continuará com os 25 módulos [5 aulas por dia], que é o currículo básico comum para a formação básica do Ensino Médio, acrescido de mais 5, então a carga horária dele passa para 30 módulos-aulas semanais, que corresponde ao 6° horário. Então, o aluno passa a ter seis aulas diárias para cumprir essa carga horária de módulos-aulas. Ao final do percurso dele, lá no 3° ano, ele vai ter um total do Ensino Médio de 3 mil horas aulas de carga horária. Hoje, o Ensino Médio tem 2.500. Então as 500 horas a mais correspondem exatamente à parte direcionada aos conteúdos da empregabilidade”, comentou.

Para Cristina, esta carga horária não sobrecarrega o aluno, já que, segundo ela, seis horários são realizados em escolas particulares. “O ´Reinventando o Ensino Médio’ vai ser trabalhado com moldes bem específicos. No projeto, existem conteúdos práticos com aulas bem criativas e diferentes. É uma aula em que o aluno terá um interesse bem maior, então, a gente acredita que não vai causar nenhum tipo de prejuízo ao aluno”, ressaltou.

A expectativa da Escola Estadual Dom José Gaspar é de que 9 turmas de 40 alunos sejam contempladas com o projeto a partir de 2013, com a implantação do sexto horário, que seria das 17h30 até às 18h20, já que o estudante cumpre o seu dia das 13h às 17h30. “Temos ainda que estudar todo o nosso quadro de professores, dando preferência aos efetivados, mas, com certeza, com o aumento do número de aulas, pode gerar a contratação. O governo do Estado quer expandir esse projeto em todas as escolas, a partir de 2014. Tenho certeza de que esse projeto será benéfico para todos”, finalizou.