Destaque »

Representantes da OAB se reúnem com Vereadores na Câmara

19 de junho de 2018 – 0:41 |

Na tarde da última segunda-feira (11), o Plenário Vereador Guilherme Gotelip Neto recebeu Vereadores, imprensa e diversos advogados do Município de Araxá para uma Audiência Pública. Ainda participaram membros da Diretoria da 33ª …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Educação

Projeto “Reinventando o Ensino Médio” será desenvolvido em Araxá a partir de 2013

A Escola Estadual Dom José Gaspar será a 1ª escola a receber esse projeto do governo do Estado, com a expectativa de beneficiar 360 alunos que estudam no 1° ano do Ensino Médio.

A cidade de Araxá será contemplada com um projeto do governo, da Secretaria Estadual de Educação, a partir de 2013. É o “Reinventando o Ensino Médio”, que tem como objetivo preparar melhor o jovem que deseja entrar no mercado de trabalho após o término dos estudos. As atividades não estão voltadas somente a vestibulares. Para o ano que vem, 120 escolas foram selecionadas a receber esse projeto. Dentre elas, a Dom José Gaspar, que faz parte da rede estadual de ensino de Araxá. As escolas foram selecionadas com base em critérios geográficos e aritméticos, que levaram em consideração, sobretudo, as escolas que possuem o maior número de alunos matriculados no Ensino Médio, iniciativa que faz parte da segunda etapa do projeto, que contempla todo o Ensino Médio.

De acordo com a diretora da escola, Maria Cristina Cunha, a primeira etapa do projeto corresponde ao seu desenvolvimento em caráter experimental com 11 escolas da região metropolitana de Belo Horizonte. “O projeto em si é dar uma cara diferenciada ao Ensino Médio, uma significação maior. Hoje o aluno está terminando o 3° ano do Ensino Médio, com uma projeção de faculdade, de curso superior, de um prosseguimento. O que o governo quer é preparar melhor esse aluno para o mercado de trabalho. Não é um curso técnico que vamos oferecer”, esclareceu.

De acordo com o planejamento do projeto, o “Reinventando” prevê a criação de um horário extra de estudos, incluindo matérias voltadas para o mercado de trabalho nas áreas de “Tecnologia da Informação”, “Comunicação Aplicada” e “Turismo”. No primeiro ano do Ensino Médio, entre as disciplinas de empregabilidade do curso de Comunicação Aplicada estão ‘Comunicação e Sociabilidade’ e ‘Mídias e Redes Sociais’. Para a área de Tecnologia da Informação, os alunos contam com disciplinas como ‘Computador e Comunicação’ e ‘Jogos e Mídias’. Já os estudantes de Turismo estudam ‘Meio Ambiente e Turismo’, ‘Atratividade Turística’, ‘Impactos do Turismo’, entre outras.

A diretora explicou que o projeto vai continuar trabalhando o currículo básico comum (CBC) para a formação básica do aluno no Ensino Médio, ou seja, 1°, 2° e 3° anos terão seus currículos mantidos. “O aluno do 1° ano continuará com os 25 módulos [5 aulas por dia], que é o currículo básico comum para a formação básica do Ensino Médio, acrescido de mais 5, então a carga horária dele passa para 30 módulos-aulas semanais, que corresponde ao 6° horário. Então, o aluno passa a ter seis aulas diárias para cumprir essa carga horária de módulos-aulas. Ao final do percurso dele, lá no 3° ano, ele vai ter um total do Ensino Médio de 3 mil horas aulas de carga horária. Hoje, o Ensino Médio tem 2.500. Então as 500 horas a mais correspondem exatamente à parte direcionada aos conteúdos da empregabilidade”, comentou.

Para Cristina, esta carga horária não sobrecarrega o aluno, já que, segundo ela, seis horários são realizados em escolas particulares. “O ´Reinventando o Ensino Médio’ vai ser trabalhado com moldes bem específicos. No projeto, existem conteúdos práticos com aulas bem criativas e diferentes. É uma aula em que o aluno terá um interesse bem maior, então, a gente acredita que não vai causar nenhum tipo de prejuízo ao aluno”, ressaltou.

A expectativa da Escola Estadual Dom José Gaspar é de que 9 turmas de 40 alunos sejam contempladas com o projeto a partir de 2013, com a implantação do sexto horário, que seria das 17h30 até às 18h20, já que o estudante cumpre o seu dia das 13h às 17h30. “Temos ainda que estudar todo o nosso quadro de professores, dando preferência aos efetivados, mas, com certeza, com o aumento do número de aulas, pode gerar a contratação. O governo do Estado quer expandir esse projeto em todas as escolas, a partir de 2014. Tenho certeza de que esse projeto será benéfico para todos”, finalizou.