Destaque »

Catarina enfrenta ventos fortes, mar agitado e baixa temperatura da água na travessia do Canal da Mancha

13 de setembro de 2019 – 18:25 |

Por Maurício de Castro Rosa
O ser humano é o único animal que arrisca sua vida sem ser para comer ou se salvar de um predador. Ele arrisca a vida por adrenalina, por emoções, por desafios, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Cultura

Coluna do Francisco Géa

“DIA 19 DE JULHO O DIA DO CINEMA NACIONAL”

Francisco José Géa

 

Parte final

 

 

 

“O MOMENTO ATUAL DO CINEMA BRASILEIRO”

 

A indústria cinematográfica nacional, passou por momentos muito difíceis e soube se superar, pelos difíceis momentos pelos quais passou, ao longe dos anos, hoje a realidade é outra, é bem diferente daqueles tempos em que o nosso cinema era movido pelo dinheiro de abastados industriais, de banqueiros, do próprio governo, ou de alguns poucos produtores independentes.

O que houve, é que nenhum destes modelos conseguiu se manter, e hoje o cinema brasileiro orbita em torno das leis de incentivo fiscal, da Lei do Audiovisual ou da Lei Rouanet, que são mecanismos que permitem que as empresas repassem para os produtores cinematográficos, até 4% do Imposto de Renda, que devem ao governo e que agora são revertidos nas produções cinematográficas, também há  de se levar em conta a ajuda da Globo Filmes e dos Canais de Televisão do Tele-Cine, que também dão a maior força para que os produtores e diretores lancem os seus novos filmes.

E foi por causa deste incentivos, que de uns tempos para cá, por causa destas colaborações, é que tem sido lançados um grande lote de ótimos filmes nacionais, que são filmes e produções que realmente são muito bons e que não ficam nada a dever as outras produções estrangeiras.

 

“RELAÇÃO DE ALGUNS FILMES DO ATUAL CINEMA NACIONAL QUE SÃO MUITO BONS E QUE MERECEM SER VISTOS E CONHECIDOS”

 

“CIDADE BAIXA, “VERONICA”, “CABEÇA A PREMIO”, “CINEMA, ASPIRINA E URUBUS”, “O ANO EM QUE MEUS PAIS SAIRAM DE FÉRIAS”, “FAROESTE”, “ESTOMAGO”, “CARNAVAL DE ILUSÕES”, “EU RECEBERIA AS PIORES NOTICIAS DE DEUS LINDOS LÁBIOS”, “MALÚ DE BICICLETA”, “A NOSSA VIDA CABE NUM OPALA”, “CHEGA DE SAUDADE”, “O PALHAÇO”, “AMARELO MANGA”, “FAROESTE CABOCLO”, “NARRADORES DE JAVE”, “ARIDO MOVIE”, “O CÉU DE SUELY”, “A ERVA DO RATO”, SENTA A PUÁ”, “ BIG JATO”,”A FRENTE FRIA QUE A CHUVA TRAZ”, “ELLIS, O FILME”, “MUNDO CÃO”, “TIM MAIA”, “FALA COMIGO”, “NASCIDA DE NOVO”, e outras grandes e recentes obras do nosso criativo cinema nacional.

(FIM)

FRANCISCO JOSÉ GÉA