Destaque »

Catarina enfrenta ventos fortes, mar agitado e baixa temperatura da água na travessia do Canal da Mancha

13 de setembro de 2019 – 18:25 |

Por Maurício de Castro Rosa
O ser humano é o único animal que arrisca sua vida sem ser para comer ou se salvar de um predador. Ele arrisca a vida por adrenalina, por emoções, por desafios, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Cultura

Mundial de Queijo movimentou Araxá no fim de semana

Araxá foi palco no último fim de semana do primeiro Concurso Mundial de Queijos da América Latina. O evento que terminou no domingo passado no Parque do Barreiro, teve mais de mil queijos inscritos no concurso, que ainda teve direito a harmonização e degustação com vinho, geléia, cachaça e sorvete. Foram 3 dias de muitas atividades paralelas, como shows artísticos com cantores da terra, parque de gastronomia entre outras ações. O concurso teve a chancelada da  ONG “SerTãoBras” uma Organização Não Governamental visa lutar pela legalização do queijo de leite cru e pela valorização do pequeno produtor rural, e pela Guilde Internationale des Fromagers, da França. O objetivo do concurso, segundo uma das organizadoras, Anna Huffein, é colocar queijos brasileiros lado a lado com os queijos internacionais para premiar os melhores sem distinção de origem ou tecnologia queijeira. “Tudo aconteceu devido ao mundial da França, onde uma brasileira ganhou como melhor queijo do mundo. Depois disso, a Débora [Pereira, diretora da SerTãoBras], começou a pensar que o queijo [da região] tem muita qualidade. No ano passado, fizeram um curso de maturação e, daí, ela ficou encantada com os queijos e pensou: ‘por que não trazer o mundial de queijo pro Brasil?’”, contou. Dos 955 queijos avaliados, 245 pontuaram. Foram 21 super ouros, 35 ouros, 76 pratas e 113 bronzes. O anúncio foi aberto ao público. O concurso reuniu 93 jurados de várias partes do mundo com a missão de eleger os melhores sabores. Os queijos foram separados em 60 mesas, de acordo com a categoria de fabricação. Cada mesa tem 20 queijos e é ocupada por três jurados. Eles avaliam os quesitos aparência externa e interna, odores, textura e sabor e dão da a nota queijo a queijo, quesito a quesito. “A gente avalia, faz a limpeza do paladar com água ou maça, para não misturar os sabores”, acrescentou o jurado, Alaor Pereira Lino. Entre os visitantes do evento, destaque para o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, que entregou o Selo Arte a produtores do Queijo Minas Artesanal de diferentes regiões. Minas Gerais é o primeiro estado a entregar o certificado, que valoriza o produto e impulsiona a sua produção e comercialização. “Fiz questão de comparecer aqui nesta primeira feira internacional do queijo porque Minas Gerais é o maior produtor de queijo do Brasil. Isso tem uma representatividade muito grande na nossa economia e o meu governo vai fazer de tudo para levar esse queijo tão bom, que nós temos aqui, para outros estados e para o exterior também. Tenho me empenhado pessoalmente, porque nós temos uma riqueza, um produto maravilhoso e precisamos divulgá-lo melhor”, afirmou o governador. Além de entregar os certificados, Romeu Zema percorreu a feira e conversou com produtores, comerciantes e visitantes. O governador e a secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini, foram homenageados pela Guilde Internationale de Fromagers – um dos principais reconhecimentos do mundo queijeiro -, por suas trajetórias de apoio à produção de queijos.