Destaque »

Hudson Fiuza levanta a bandeira do Samu em Araxá

23 de julho de 2019 – 17:12 |

 
Na luta pela implantação do Samu em Araxá, o vereador Hudson Fiuza do PSL de Araxá,  viu no final da semana que passou mais uma grande conquista pelo seu esforço de trazer o Serviço de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Política, Responsabilidade social

Administração Municipal atende a população com fraldas geriátricas

A confecção de fraldas geriátricas para abrigos e entidades filantrópicas de Araxá tem a parceria da Administração Municipal. O Prefeito Aracely de Paula, através da Secretaria de Ação e Promoção Social, tem acompanhado o trabalho das instituições que receberam recursos pelo convênio com o Fundo Municipal do Idoso. A Associação Obras Sociais Augusto de Lima, produz oito mil fraldas por mês, que são repassadas para o Lar Ebenézer, Recanto do Idoso de São Vicente de Paulo, Hospital Casa do Caminho e Serviço de Obras Sociais (SOS). O presidente da Associação, Mário Gomes da Silva, informa que a entidade desempenha várias atividades além de manter a Casa Espírita Gumercindo Gimenez. Destaca que receberam pelo convênio R$ 299.124,00, recurso que permitiu a ampliação dos atendimentos.  Produzem fraldas geriátricas, pijamas de inverno, toalhas e roupas de cama (lençóis e fronhas) para os idosos das instituições atendida. As fraldas são produzidas com a ajuda de 50 voluntários, tem ainda parceria com integrantes das Casas Espíritas ‘Luz e Consolação’ e ‘Estudantes do Evangelho’ e com o trabalho de recuperandos através da Associação de Proteção ao Condenado de Araxá (APAC) e do Conselho Comunitário de Segurança Pública de Araxá (Consep).  “Há sete anos quando iniciamos a produção de fraldas geriátricas fazíamos 200 unidades por mês, hoje são 2000 por semana. Mesmo com a melhora na produção, as fraldas confeccionadas representam 30% da demanda das entidades”.  Mário explica que a produção é feita em duas etapas. Primeiro confeccionam o manto da fralda para colocar o absorvente), depois tem o acabamento (fazer a cava, colocar presilhas, empacotar e esterilizar). “Nosso trabalho não é só fazer fraldas, mas tentar ajudar as necessidades sociais do município. Muitas pessoas participam por um motivo apaziguador, ansiedade, depressão, dor de um luto ou do desgaste natural da vida. É um trabalho que faz bem para quem executa e ajuda pessoas que eles nem conhecem. Os voluntários se sentem úteis e isso tem um significado importante na vida deles”, reforça Mário.