Destaque »

Serviço de endoscopia e colonoscopia da Santa Casa completa um ano e atividade

17 de setembro de 2019 – 11:42 |

Administrar hospital filantrópico, sem fins lucrativos, conveniado ao Sistema Único de Saúde não é tarefa para qualquer um. Enquanto em alguns momentos faltam recursos até mesmo para compra de materiais e medicamentos, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Destaque, Política

Eleições 2018: O futuro de Minas e do Brasil nas mãos do povo

ZEMA X ANASTASIA

Contagem regressiva. No próximo domingo, dia 28 de outubro, entre 8 horas da manhã e 17 horas da tarde, em todo o território nacional, o povo brasileiro, irá escolher o novo presidente do País  para os próximos 4 anos e em vários Estados, incluíndo Minas Gerais, o eleitor também irá escolher os novos governadores para a gestão 2019-2022.  Em todo o Brasil, mais de 147 milhões de eleitores estão aptos a exercer o mais legítimo e democrático dever de cidadão, nas urnas. Em Minas Gerais, são mais de 15 milhões de eleitores aptos a votar. Em Araxá de acordo com a última atualização do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, hoje o município de Araxá tem 75.628 eleitores, aptos. A comarca de Araxá,  que inclui também o Distrito Rural de Itaipú e o Barreiro, tem 228 sessões eleitorais. Em Minas Gerais a disputa para o governo do Estado, está entre os candidatos Romeu Zema do Partido Novo e Antônio Anastasia do PSDB, que passaram para a disputa da contenda, no segundo turno das eleições mineiras.

Romeu  Zema Neto – Partido Novo

Romeu Zema Neto, tem 53 anos, é natural de Araxá, em Minas Gerais, e é formado em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo. Ele é um dos donos do Grupo Zema, rede de varejo com 430 lojas em seis estados do Brasil que fatura R$ 4,5 bilhões por ano. Ele foi presidente do Conselho de Administração do grupo, que atua em segmentos como moda, postos de combustíveis, móveis e eletrodomésticos. Segundo o empresário, a rede tem 5,5 mil funcionários. O candidato declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma lista de bens majoritariamente composta por investimentos e participações societárias. O patrimônio declarado é de R$ 69,7 milhões. Segundo dados do TSE, Zema gastou R$ 1,1 milhão na campanha do primeiro turno. Ele declarou ter arrecadado R$ 1,7 milhão. A maior parte, 64% do total, veio através de doações de pessoas físicas. O partido contribuiu com R$ 390 mil e Zema injetou R$ 235 mil em recursos próprios na campanha. Zema obteve no primeiro turno: 4.138.967 votos. O candidato Romeu Zema, vai votar na manhã do próximo domingo, na Escola Estadual Delfim Moreira, no centro  de Araxá.

 

Antônio Augusto Junho Anastasia – PSDB

Antonio Augusto Junho Anastasia, tem 57 anos,  nasceu em Belo Horizonte, é um político brasileiro, sendo atualmente senador por MG. É graduado e mestre em Direito pela UFMG. Iniciou a carreira política em 1991, quando assumiu o cargo de secretário-adjunto de Planejamento e Coordenação Geral no  governo  de Hélio Garcia. Em 1994, assumiu as funções de secretário de RH e Administração. Um ano depois, foi convidado para  o cargo de secretário-executivo do Ministério do Trabalho. Em 1999, tornou-se secretário-executivo do Ministério da Justiça durante a gestão dos ministros José Carlos Dias e José Gregori. Nos anos 2000, Anastasia retornou a BH e coordenou o programa de  Aécio Neves  ao governo de Minas. Com Aécio eleito, assumiu em 2003 a Secretaria de Planejamento e Gestão. Em 2008, com a reeleição de Aécio, virou vice-governador de MG. Em março de 2010, com a renúncia de Aécio para se candidatar ao Senado, Anastasia assumiu o cargo de governador. Nas eleições de 2010, foi reeleito para o cargo. Quatro anos depois foi eleito senador por MG. É filiado ao PSDB. Anastasia, obteve  no primeiro turno destas eleições: 2.814.704 votos. O candidato do PSDB vai votar pela manhã, de domingo,  no Colégio Arnaldo, no bairro Anchieta, na região centro-sul de Belo Horizonte.

 

BOLSONARO X HADDAD

Já o certame eleitoral no segundo turno, para o cargo de presidente da república, entre os candidatos Jair bolsonaro do PSL e Fernando haddad do PT, também é um capítulo à parte na história política recente do Brasil. A eleição para presidente, chega em meio a um país merrgulhado num caos de corrupção, insegurança social, alta no desemprego, aumento da criminalidade e principalmente na falta de credibildiade do eleitor em relação a atual classe política que governa o Brasil.

Jair  Bolsonaro do PSL

Capitão reformado do Exército, Jair Bolsonaro (PSL), 63, nasceu em Campinas ( SP), disputa pela primeira vez a Presidência da República. Ele  está no 7º  mandato como deputado federal.  Defensor árduo do que ele chama de moral e pátria, Bolsonaro cursou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército e em seguida a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), formando-se em 1977. Em 1986, servindo como capitão no 8º Grupo de Artilharia de Campanha, ganhou projeção nacional ao escrever artigo intitulado “O salário está baixo”. O texto foi publicado na  revista Veja. No texto, Bolsonaro apontou o desligamento de dezenas de cadetes da AMAN aos baixos salários pagos à categoria. O artigo gerou tanta polêmica que acabou resultando na prisão dele, por infringir o regulamento disciplinar do Exército. Toda essa exposição na mídia contribuiu para que Bolsonaro fosse eleito para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 1988, na legenda do Partido Democrata Cristão . Porém, o mandato não chegou a ser cumprido até o fim, pois, no ano de 1990, Bolsonaro foi concorrer a uma vaga na Câmara Federal. Eleito no processo, Bolsonaro assumiu o cargo em janeiro de 1991. Na biografia do seu site oficial, ele é lembrado “por suas posições em defesa da família, da soberania nacional, do direito à propriedade e dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa. Suas bandeiras políticas são fortemente combatidas pelos partidos de ideologia esquerdista”.