Destaque »

Araxá realiza 10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

14 de novembro de 2018 – 17:47 |

Foi realizada na última terça-feira, dia 13 de novembro, na Pousada Dona Beja, a  10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Araxá. O evento reuniu representantes de entidades e …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Saúde

Campanha destaca importância da vacina contra o HPV para crianças e adolescentes

De acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, neste mês de setembro ocorre uma intensificação nas campanhas publicitárias para a vacinação contra o HPV, vírus que pode causar vários tipos de câncer, entre eles, o de colo de útero.O público-alvo para a vacinação é de meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. A recomendação é que procurem os postos de saúde de suas cidades, com o cartão de vacina. Não é necessário irem acompanhados dos pais. É bom deixar claro que não se trata de campanha de vacinação e sim publicitária. A vacina está disponível, durante todo o ano, nas unidades de saúde. O objetivo da intensificação é abranger o maior número de adolescentes num intervalo curto de tempo, melhorando a cobertura vacinal. A vacina contra o HPV foi introduzida no Calendário Nacional de Vacinação, de forma gradual, tendo, em 2014, como alvo as meninas de 11 a 13 anos de idade. Em 2015, foram incluídas as meninas de 9 a 11 anos de idade; em 2016, a vacina estava disponível, para as meninas de 9 a 13 anos de idade e em 2017, para meninas de 9 a 14 anos. Em 2017, foram inseridos os meninos de 11 a 14 anos. A inclusão dos meninos contribuiu para o aumento da proteção em meninas. Na população feminina, a vacina tem o objetivo de prevenir os cânceres do colo do útero, vulva, vagina e região anal, refletindo na redução da incidência e da mortalidade por esta enfermidade, além da redução da incidência das verrugas genitais. Na população masculina, prevenir os cânceres de pênis, ânus e garganta e contra as verrugas genitais. Além disso, por serem os responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras, ao receber a vacina estão colaborando com a redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres.