Destaque »

Catarina enfrenta ventos fortes, mar agitado e baixa temperatura da água na travessia do Canal da Mancha

13 de setembro de 2019 – 18:25 |

Por Maurício de Castro Rosa
O ser humano é o único animal que arrisca sua vida sem ser para comer ou se salvar de um predador. Ele arrisca a vida por adrenalina, por emoções, por desafios, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Cultura, Sem categoria

Tony Bellotto, em Araxá

O Sempre Um Papo recebe o escritor, compositor e guitarrista da banda Titãs, Tony Belotto, em Araxá, para o lançamento do livro “Lô” (Cia das Letras) e debate sobre o tema “Literatura, Música e Língua Portuguesa”. Na obra, a paz aparentemente imperturbável de Lô, um bem-sucedido designer de móveis, será completamente devassada pela namorada adolescente do filho. Invertendo a estrutura do clássico de Nabokov, Tony Bellotto retorna ao romance e cria uma extraordinária mistura de comédia de costumes, sátira social e narrativa de crime. O evento será no dia 27 de agosto, segunda-feira, às 19h30, no Campus Uniaraxá, com entrada gratuita. O Sempre Um Papo conta com o patrocínio da CBMM, com recursos das leis Federal e Estadual de Incentivo à Cultura.  No livro, Lourenço Barclay, conhecido por todos como Lô, é a imagem do homem pleno e realizado. Aos cinquenta anos, mas com o corpo de um jovem esportista, leva a vida dos sonhos: tem uma mulher deslumbrante, um filho exemplar e vive num enorme apartamento na zona sul do Rio. Lô fez sua fama conjugando a cultura do surfe com o design, vendendo móveis inspirados num lifestyle saudável para a elite carioca por preços exorbitantes. O que ele não espera é que a namorada de seu filho, uma adolescente pálida e baixinha, avançará em sua direção com a força de um tsunami, tirando o equilíbrio do ex-surfista. Motivada por escritos como os de Simone de Beauvoir, a jovem Jú transforma Lô em seu objeto de desejo máximo. O encontro com a menor de idade marca o fim da paz de Lô: não há meditação budista, exercício de pilates, alfafa orgânica ou bolinhos de alga capazes de salvá-lo. Neste cômico romance, onde todos acreditam ser justos, não há pureza à vista, e Bellotto está disposto a remover as máscaras de tudo e todos que surgirem pela frente.