Destaque »

Francelino Cardoso Júnior: Levando a vida contando boas histórias

21 de setembro de 2018 – 16:59 |

No final da semana que passou ( sexta-feira, dia 14 de setembro),  os pequenos alunos da Escola Municipal Alice Moura de Araxá, foram presenteadas com a visita do …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Esporte

O time do Senhor Rocha

Em meados da década de 1960 até o início da década de 70, foi criado em Araxá um dos melhores times juvenis de todas as épocas. Por falta de nome, o time acabou adotando o nome de seu treinador e benfeitor, Sr. Rocha, um senhor aposentado que mudou para Araxá e amava o futebol amador. O time reunia o que de melhor havia na cidade, e chegou a ficar invicto por alguns anos, enfrentando, inclusive, times adultos de Araxá e de outras cidades circunvizinhas. Como não havia muita estrutura nos outros times juvenis de Araxá, os jogadores que se destacavam acabavam indo parar no time do ‘Seu’ Rocha, porque ali havia um treinador, local para treinar – no campo principal do Colégio Dom Bosco – e jogo de camisas quase sempre novo. Assim, o time acabou se tornando uma verdadeira seleção araxaense, contando com o que de melhor havia na época.

Por muitas vezes, o time do ‘Seu’ Rocha, como era conhecido, chegou a representar o juvenil do Araxá Esporte, fazendo preliminares no Estádio Fausto Alvim, em época também de grande prestígio do futebol araxaense, usando a tradicional camisa alvinegra do majestoso de Araxá.

A foto, salvo engano, é de 1970, e além dos jogadores e dos mascotes, conta com a presença do treinador, ‘Seu’ Rocha, ao lado do então presidente da LAD – Liga Araxaense de Desportos -, e mais tarde vereador, Nicanor de Freitas, conhecido como ‘Seu’ Bita.

Alguns jogadores do time tentaram seguir carreira, no entanto, sem muito sucesso, exceção feita ao meia-esquerda Zeca, que na foto aparece como ponta-esquerda, cuja história passo a contar, como me foi passada por outros ex-jogadores do plantel.

O América Mineiro, àquela época, tinha um time competitivo em âmbito nacional, e seu maior ídolo era o meia Cássio, muito criativo e inteligente. Infelizmente, no auge da carreira, o jogador morreu em um acidente de carro. Pouco tempo depois, Zeca se mudou para Belo Horizonte e foi fazer teste no América. Sua imagem loira, sua classe, categoria e habilidade com a bola lembravam muito o jogador falecido. Aprovado nos testes, Zeca foi apresentado à imprensa que não tardou em ver semelhanças com Cássio e passou a chamá-lo de ‘o novo Cássio’ do América. Mas logo depois, em exames médicos, o jogador foi descartado por apresentar sopro no coração, não podendo, assim, jogar profissionalmente pelo América.

Outros jogadores também foram chamados para testes no próprio América, mas nenhum deles conseguiu seguir a carreira profissional, pois naquela época era muito difícil, todos tinham de trabalhar para sobreviver, não podendo se dedicar ao esporte, que não pagava somas milionárias como hoje.

Time na Foto: Em pé da esquerda para a direita: Fidelis, Tucano,Guarda Chuva, Joãozinho, João Balaio, João e Senhor Rocha ( técnico ). E Senhor Nicanor de Freitas ( Bita ) Pres. LAD. Agachados: Canôa,Vandeir, Amir, Geraldinho e Zeca. Mascotes: Vitor Claudio Nascimento e Juninho do Spetus.

P.S – Esta história também foi relatada com detalhes e escrita pelo meu estimado irmão, o jornalista e funcionário aposentado da Caixa, João Batista de Freitas, que atualmente mora na cidade paulista de Campinas.  João era o goleiro do time do Senhor Rocha. Também colaborou com esta bela reportagem o amigo Amir que era o atacante do time do senhor Rocha.