Destaque »

Comandante da Capitania Fluvial de Minas Gerais visita Araxá

20 de fevereiro de 2020 – 19:24 |

A Capitania Fluvial de Minas Gerais, com sede em Belo Horizonte desde dezembro de 2018, está ampliando sua área de atuação e deve instalar unidades no Triângulo Mineiro e região do Rio Paranaíba. No …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Destaque

Reunião na Codemig, com presidente Castello Branco, pode ser um novo marco de investimentos no município

O presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, recebeu uma comitiva de vereadores, representantes de classes, imprensa e o deputado Bosco que reivindicaram mais projetos e ações para Araxá em contrapartida da exploração mineral nas terras de Araxá.

Após requerimento do vereador Luiz Carlos, solicitando reunião com o presidente da instituição, uma comitiva de 19 representantes esteve reunida, na manhã desta quarta-feira, 21, para solicitar mais investimentos da instituição para o município.

Castello Branco recebeu o grupo no auditório da sede da Codemig, em Belo Horizonte, acompanhado de sua equipe de trabalho, e fez uma exposição sobre a história da exploração mineral em Araxá, no início, com o fosfato, e posteriormente com a descoberta do Nióbio até os dias atuais. Apresentou projetos que já estão na pauta, sendo já desenvolvidos na cidade, e abriu espaço para que todos pudessem expor suas solicitações.

Estiveram presentes, no encontro, os vereadores: Fabiano Santos (Presidente da Câmara), Bosco Júnior (vice-presidente), Luiz Carlos (autor do requerimento), Raphael Rios, José dos Reis, Jairinho Borges, Fárley Pereira e Hudson Fiúza. A reunião contou, ainda, com a presença do presidente da Acia, Emílio Neumann, assessor do  vereador Ceará da Padaria, Edivaldo Rocha, assessora da vereadora Fernanda Castela, Daniele Oliveira Pinheiro Severo, assessor do vereador Garrado, André Luiz Lima, assessor do vereador Fabiano Cunha, Caio Ranieri, representante da Arap, José Flausino, o repórter Diogo Meira, da Rádio Cidade, e o jornalista Maurício Rosa, do Jornal Interação.

Os participantes tiveram a oportunidade de se expressar, o deputado Bosco fez o papel de mediador da reunião e colocou que o momento é para inaugurar um novo elo de relação com a Codemig, fortalecendo o canal de convivência entre Araxá e a instituição.

O presidente da Câmara, Fabiano Santos, cobrou mais contrapartida, entendendo que é de direito e intenção de servir outros municípios para desenvolvimento de Minas; aproveitou para cobrar sobre o projeto Vila do Artesanato e  uma posição sobre a área da Expominas. O presidente Castello Branco adiantou que pretende inaugurar a Vila do Artesanto até junho de 2018, e que a Expominas, em Araxá, não condiz com o nome, pois não tem estrutura para isso e que, se houver algum empresário interessado em explorar o local, algo que seja interessante para o município, a Codemig faz uma parceria sendo sócia, doando a área, e que parte já está sendo transferida para o TRT. Fabiano convidou o presidente para visitar a Câmara, o qual prometeu uma visita no segundo semestre.

O vereador Rafael Rios aproveitou para fazer um comentário de que o valor de investimento referente ao que é retirado do município é só “pingado” – explicou que é um termo usado na Câmara durante as reuniões, quando se trata de investimentos da instituição ao município – que é uma cobrança da sociedade, sendo justo maior aporte de investimento no município.

O vereador Bosco Júnior, vice-presidente da Câmara, lembrou do esforço de seu pai em intermediar os recursos justos para o município, ressaltando a importância de sua atuação, e pediu ajuda da Codemig para  manutenção da pista de Mountain Bike da Copa Internacional, que circunda todo o Barreiro, para que ela seja mantida o ano inteiro para os praticantes do esporte na cidade e possa fomentar o turismo, atraindo esportistas de outras cidades, para que possam visitar Araxá durante todo o ano, em razão da prática do esporte.

O autor do requerimento, o vereador Luiz Carlos, comentou que está ali por solidariedade ao cidadão araxaense; o que é retribuído a Araxá não é realmente compatível com o que Araxá doa para a CBMM e a Codemig. “Na opinião e no clamor dos araxaenses, a gente queria muito mais a presença da Codemig”, cobrou o vereador. O presidente Castello Branco admitiu que o patrimônio de Araxá é que está ajudando a levantar Minas Gerais, mas ponderou que não adianta uma Araxá rica, e rodeada de pobreza pelo Estado. “Hoje o mais estratégico para Minas Gerais é resolver e viabilizar a planta de Amônia e gasoduto em Uberaba. A Petrobras largou o projeto; por ela, não vai mais ser feito. Nós é que estamos lutando lá. São 3 bilhões de reais,  1 bilhão no gasoduto e 2 bilhões na planta de Amônia; esta é nossa missão, nossa ajuda, não vai ser sozinho. E se tivermos o privilégio de viabilizar por Minas Gerais, que é uma carência daquela região, vai ter muito reflexo para viabilizar as reservas de adubo que estão naquela região; é o mérito do povo de Araxá  que vai dar oportunidade, que parte daqueles recursos que saem da cidade”, declarou o presidente da Codemig.  Luiz Carlos lembrou sobre a intenção da construção da fábrica de superímã, na região de Belo Horizonte, solicitando que a fábrica fosse implantada no município. Castello Branco explicou que está sendo desenvolvida uma fábrica-piloto de superímã para capacidade 80 toneladas/ano;  o Brasil consome 1.200 toneladas/ano, tudo importado, e até 2020, o País estará consumindo 2.000 toneladas, e quando for feita a nova planta de grande produção,  a fábrica tem que ser do lado das reservas minerais – é uma questão de logística! Tudo será um esforço imenso junto à CBMM, porque estamos investindo junto para desenvolver o beneficiamento. Hoje a fábrica não é competitiva, o produto sai mais caro do que importar. Existem estudos conjuntos de mais de 20 milhões de investimento para produzir produtos ligados às reservas minerais de Araxá”.

O vereador Fárley reforçou as reivindicações dos companheiros e agradeceu o empenho pelos projetos que estão em andamento.

Vereador Hudson reivindicou um espaço para implantação da Delegacia de Trânsito, que hoje está em um lugar inadequado, sugerindo uma área na Expominas, ideia que despertou o interesse do presidente que prometeu estudar a possibilidade.

O vereador José dos Reis solicitou a possibilidade de fazer um estudo para viabilizar um recurso fixo para suprir uma  demanda grande em saúde. Castello Branco expressou um sentimento de dificuldade em relação à saúde, porque reconhece as limitações de se fazer investimentos dentro das legislações por meio das quais aportes para saúde são mais difíceis, prometendo estudar a possibilidade.

O Jornal Interação participou da reunião, tendo como representante Maurício de Castro Rosa que reforçou a necessidade de maiores investimentos, em contrapartida das riquezas que são retiradas do município, que estão longe de ser compensatórios, pelas consequências da exploração mineral na região. “Nós, da imprensa, recebemos cobranças proporcionais às que recebem os representantes políticos, por sermos um elo entre eles e a sociedade. Existe uma cobrança de parte da sociedade araxaense que expressa em decepção quando viajam pelo País e chegam a uma outra cidade e deparam com grandes obras realizadas com recursos recebidos da Codemig, o  que representa 90% de receitas oriundas de riquezas saídas de Araxá, trazendo um sentimento de injustiça por não enxergarem no próprio município realizações  suficientes  compatíveis com a riqueza que o município oferece para todo o País. Reconhecendo, o presidente Castello Branco lembrou da Expominas de São João Del Rei, “um ‘elefante branco’, obra de 100 milhões de reais que tive que terminar e que está lá, fechado”, lamentou. Na análise deste jornalista [Maurício Rosa], Araxá poderia ser um dos maiores polos turísticos do Brasil e do mundo, pois detém riquezas para isso. No entanto, tem um “turismo” deficitário, que poderia gerar grandes receitas para o município e o Estado,  vê a eminência constante de seu maior patrimônio, o Complexo do Barreiro, fechar as portas. É comum presenciar comentários de turistas que ficam encantados com a beleza e estrutura do Grande Hotel, mas ficam decepcionados com a pouca exploração deste turismo. São muitas as sugestões deixadas por estes turistas. Acredito que, em um esforço conjunto dos órgãos públicos e privados, poderíamos transformar Araxá em um dos maiores polos turísticos do País. Os turistas e parte da sociedade araxaense enxergam que a riqueza do município não é compatível com a estrutura e a qualidade de vida que ela usufrui, e, a cada ano, vai pagando um preço por essa doação de suas riquezas.

O presidente da ACIA, Emílio Neumann, comentou sobre uma proposta encaminhada, anterior a um projeto do entorno do Barreiro, que não foi satisfatória para os interesses da Codemig, ficando acertado de estudarem em uma outra oportunidade.

Germano Afonso, assessor do vereador Robson Magela, reforçou a necessidade de um aporte maior da Codemig, lembrando que o passivo ambiental da exploração mineral fica com Araxá e que a compensação não está sendo compatível com a realidade.

Ao final, diante das colocações feitas pelo presidente Castello Branco que afirmou para todos que toda demanda é justa e que os desembolsos da entidade é para o desenvolvimento de todo o Estado, mas que, dentro das possibilidades legais, estará se esforçando ao máximo para atender mais reinvindicações, ficou uma expectativa positiva na comitiva de um novo marco de investimentos na cidade.

Pleitos em andamento:

Vila do Artesanato: Detalhes da construção da Vila do Artesanato, no Complexo do Barreiro, já estão sendo definidos. Um dos sonhos mais antigos da cidade, a obra visa a atender aos anseios dos artesãos e membros do turismo araxaense. Reuniões com os artesãos estão sendo feitas para definições e normatização de produtos e serviços.  A construção de um estacionamento para mais de mil carros no local também está garantida. Intenção é que seja inaugurado em julho de 2018 – investimentos na ordem de R$ 6 milhões.

Avenida Ítalo Rossi: Um novo convênio foi desenvolvido junto à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e prevê a duplicação da Avenida Ítalo Rossi, com construção de ciclovia, e o prolongamento da Rua Tenente Coronel Hermenegildo Magalhães, que ligará a região do Batalhão da Polícia Militar com a rodovia BR-262. O governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, investirá R$ 4 milhões nas ações, em benefício da região e da sociedade. A contrapartida do município será de R$ 6,5 milhões, totalizando mais de R$ 10 milhões de investimentos. Também em Araxá estão sendo providenciadas melhorias viárias nas rodovias AMG-0705 e AMG-0715 (Barreiro). O convênio com a Setop abrange a execução de obras de restauração do pavimento na rodovia AMG-0705 e a implantação do trevo no trecho do entroncamento AMG-0715 (Barreiro), com investimento de R$ 8 milhões. Os recursos foram liberados pela Codemig.

BR-428: Revitalização e recuperação do trecho urbano da BR-428. Codemig garantiu os investimentos de R$2 milhões.

Revitalização do Distrito Industrial: O programa de revitalização e modernização dos Distritos Industriais, desenvolvido pela Codemig, em parceria com a Fiemg e Sebrae, vai alavancar o desenvolvimento em Araxá, que tem um D.I. com cerca de 40 empresas e gera mais de 2.000 empregos. No mês de março, foi realizado o Workshop Distritos Industriais de Minas Gerais na sede da Acia. Uma série de trabalhos com o objetivo de definir os rumos do Distrito na cidade foram pauta da reunião.

Cinema Araxá: Codemig quer resolver a situação, mas depende de questões jurídicas. Vai revitalizar todo o prédio e assumir o sistema, criando um acesso maior para a área da cultura.