Destaque »

Fiscais da Vigilância Sanitária de 8 cidades participam de oficinas em Araxá

21 de maio de 2019 – 16:42 |

Os profissionais que trabalham com fiscalização no setor de Vigilância Sanitária na Microrregião do Planalto de Araxá se reuniram no último final dee smeana.  Nos encontros as equipes participaram de oficinas onde …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

EMPREENDEDORISMO, INOVAÇÃO E LUCRATIVIDADE

Sebrae / MG em parceria com a Acia e a Sindcomércio, realizou cursos e palestras durante semana do Empreendedor Individual em Araxá.

Com o objetivo de fortalecer o empreendedor individual e disponibilizar ferramentas que contribuam com o crescimento e desenvolvimento das micro e pequenas empresas, o Sebrae/MG (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) em parceria com a Acia (Associação Comercial, Industrial, de Turismo, Serviços e Agronegócios de Araxá) e o Sindcomércio (Sindicato do Comércio de Araxá) ofereceu neste mês de agosto, cursos, palestras e consultorias. Na programação, foi ofertada capacitação nas áreas de finanças, empreendedorismo e inovação.

Em uma dessas palestras, o consultor do Sebrae, Alessandro Henrique de Souza, abordou o tema da inovação ser usada como estratégia competitiva para ser obter sucesso no mercado de trabalho. Segundo ele, quanto a empresa ser mais inovadora, as suas chances de sobreviver no mercado aumentam. “Ás vezes a gente tem um mito que inovação é para apenas grandes empresas e que inovar é apenas é lançar novos produtos no mercado, mas não é. Nós temos inovação evidentemente de um produto novo, nós temos inovações em processos, nós temos inovações mercadológicas, então tem vários tipos de inovações que podem ser aplicados na micro e pequena empresa para que obtém o resultado esperado, principalmente ser mais competitivo nesse mercado”, relatou  o consultor.

Para ele, o fato do empresário ser criativo não signifique que ele seja inovador. “Não adianta você criar muito e não ter funcionalidade, não ser aceito pelo mercado. Então, a inovação é uma “invenção”, é algo que foi inventado, mas que tenha funcionalidade, aplicação e que o mercado aceita, e consequentemente gere resultados econômicos”.

Esta era uma das dúvidas do microempresário no ramo de alimentos Eduardo Barbosa. De acordo com o profissional, a palestra lhe foi muito importante para agregar conhecimentos sobre o mercado de trabalho. “Vi que ser empresário não é nada fácil, mas foi uma experiência incrível essa palestra que tive aqui hoje. Já sei como ser inovador”, destacou o microempresário.

Alessandro também enumerou alguns exemplos de inovação que não fique somente no lançamento de um novo produto. “Você pode estar lançando algo que vai melhorar na produtividade tanto dos funcionários, quanto dos equipamentos que você tem, algo que vai acessar esses mercados através de uso de tecnologia de informação, dentre outros”, colocou o consultor do Sebrae.

A palestra serviu como uma forma de tirar alguns mitos que o empresário tem quando a questão é inovar. Alessandro confessou que já viu empresário pensar que inovar precisar de recursos financeiros, só que isso não é verdade. “Às vezes, você inova sem gastar muito dinheiro, você pode fazer inovação relacionada a funcionalidade de sua empresa. Outro mito é que a pessoa acha que está muito bem posicionada no mercado e que não precisa de inovar, pois, o produto dela é inovador. Nenhum produto permanece a vida inteira no mercado de trabalho. Se ele não criar novas formas, novas utilidades, ele tem um ciclo de vida que chega a um determinado ponto e cai”, comentou Alessandro Henrique.

A Semana do Empreendedor Individual começou na última quinta-feira, 16, com a palestra “Lucratividade – Crescer, Sobreviver ou Morrer” e com três oficinas realizadas desde a última segunda-feira, 20, denominadas “Sei Empreender”, “Dia a Dia do Empreendedor Individual” no dia 22 e “Controle Financeiro” no dia 23.

 De acordo com o Departamento Comercial da Acia, aonde eram feitas as inscrições, cada palestra e oficina recebeu um público de cerca de 30 interessados. “Essas ações são importantes porque foi uma oportunidade de agregar conhecimentos, pois, almejo o crescimento sustentável da minha empresa”, concluiu o microempresário que trabalha no ramo da tecnologia, João Paulo Cariso.