Destaque »

CBMM amplia área de atuação e anuncia criação do Centro de Matéria Prima para Turbinas de Avião em Araxá

14 de dezembro de 2018 – 11:13 |

A direção da empresa CBMM, realizou na noite da última terça-feira, dia 11 de dezembro, no ‘Clara Rosa Eventos’,  a tradicional reunião de confraternização com profissionais e diretores de organismos de imprensa da cidade de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Notícias

Advogado Carlos Orlandi esclarece sobre a reforma da Previdência

Esta semana a reportagem do  JORNAL INTERAÇÃO, conversou com exclusividade com o advogado araxaense Carlos Orlandi Paiva, sobre a polêmica proposta da reforma da previdência social pelo governo federal. De acordo com o advogado especialista no assunto, “ um dos principais pontos negativos da reforma é que ela está sendo pouco discutida e isso mexe muito, não só com na vida dos trabalhadores, mas  na vida de todas as pessoas. Seja quem é segurado da previdência ou dependente de alguém. Muita gente pensa que a reforma vai atingir apenas os trabalhadores, mas os empresários também são contribuintes individuais, os pequenos e grandes produtores rurais e isso envolve todo esse conjunto da sociedade,.” Ainda de acordo com Carlos Orlandi, “ Um dos aspectos muito negativo é a questão dos pensionistas, que vão receber  menos de um salário mínimo, onde a pensão começa com 50 por cento, mais 10 por cento por cada dependente. E atualmente ela é assegurada no mínimo por um salário mínimo e com a tal reforma proposta, esse pensionista será atingido bruscamente. Outro ponto é o tempo mínimo de contribuição, que é de 15 anos e coma reforma passaria para 25 anos, numa regra de transição onde as pessoas que completam hoje 65 anos ( homens) e 60 anos ( mulher) teria o direito à aposentadoria, mas com a reforma, esse patamar de contribuição teria de ser no mínimo de 25 anos.” Ainda para o advogado, “  Em resumo a reforma do jeito que está sendo proposta vai ser muito prejudicial, pois são mudanças profundas   que estão sendo feitas no afogadilho e que não estão sendo amplamente discutidas. Na verdade é preciso um maior debate e a ampliação das discussões pois haverá uma mudança na própria constituição”. Finalizando,  Dr. Carlos Orlandi, disse que, “ o déficit da previdência também é mal discutido, pois fala-se somente em valores arrecadados dos trabalhadores e empresários, mas a previdência tem outras fontes de receitas como as loterias e jogos de azar, verbas do Pis, Confins e outros tributos repassados pelo governo federal e na nossa avaliação, os mais prejudicados com a reforma da previdência serão os segurados, seus dependentes, ou seja praticamente toda a sociedade.”