Destaque »

Unidos Contra a Corrupção: Presidente da Federaminas apresenta campanha em Araxá

17 de agosto de 2018 – 16:17 |

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas) é a primeira entidade empresarial do País a manifestar apoio à campanha Unidos Contra a Corrupção, uma iniciativa criada pela …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Notícias

Operação coíbe comércio irregular no Calçadão de Araxá

Vendedores ambulantes em situação irregular, instalados no Calçadão da rua Presidente Olegário Maciel, foram submetidos a fiscalização feita no último fim de semana. A operação desenvolvida em parceria entre Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Araxá (IPDSA), secretaria de Segurança e Cidadania, polícias Militar e Civil e Justiça resultou na apreensão de mercadorias, autuações e notificações. O superintendente interino do IPDSA, Marco Antônio Rios, destaca que a situação não gera empregos no município, pois a grande maioria dos vendedores ambulantes irregulares chega de outras cidades. Além disso, o problema atinge diretamente os comerciantes legalizados e devidamente instalados nas imediações.

“Fizemos ações no sentido de coibir essa ação crescente do que parece ser ambulantes, mas são também grandes comerciantes que chegam com todos os tipos de mercadoria e se instalam de forma inadequada no Calçadão, concorrendo com o comerciantes que estão ali estão pagando aluguel e todos os impostos. A ação é em maior parte motivada pela reclamação dos lojistas”, explicou. Marco Antônio acrescenta que a operação não seguirá um cronograma pré-definido, mas ocorrerá sempre que houver uma concentração de vendedores irregulares em qualquer ponto da cidade. “A lei para ambulantes não permite a venda de mercadoria de forma estática no Calçadão, ou em qualquer outro ponto da cidade. O que é permitido é que se locomovam para vender. Essa operação vai acontecer sempre que necessário, estaremos atentos para que essa situação não se instale novamente”, concluiu o superintendente.