Destaque »

Primeiro jogo da final do Ruralão termina empatado

20 de agosto de 2019 – 11:18 |

Domingo, 18 de agosto, foi dia do primeiro jogo da final do Campeonato Ruralão 2019, promovido pela Secretaria de Esportes, para Chácara Dona Adélia x Fazenda Máfia. O …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Destaque

‘Presídio de Araxá está proibido de receber presos de outras cidades’, diz Juiz Renato Zupo

No último dia 23 de janeiro de 2017 o Juiz titular da Vara Criminal de Araxá Dr. Renato Zoain Zupo determinou por medida judicial que a partir desta data  que o Estado de Minas Gerais não encaminhe presos de outras cidades ( comarcas diferentes) para a unidade prisional do município de Araxá. A decisão assinada na última segunda-feira ( 23) pelo Juiz Renato Zupo foi defendida depois que o Juiz fez uma analise do pedido de interdição parcial do presídio de Araxá que foi chancelado pela Defensoria Pública da cidade. O pedido da Defensoria Pública de Araxá foi protocolou no último dia 10 de janeiro de 2017. Trata-se de uma  Ação Civil Pública que pede a interdição parcial do Presídio Regional da cidade, que está com um volume de presos quase três vezes além da capacidade. Segundo a Defensoria Pública o presídio de Araxá teria 128 vagas para 365 presos atualmente. Segundo informou o defensor público responsável pela ação, Antônio Carlos,  a primeira medida a ser adotada é que o presídio pare de receber presos que não são de Araxá. Em seguida, será preciso devolver os que não são da cidade para os seus municípios ou outros presídios com vagas. Só assim seria possível reduzir, de fato, o número de presos. Diante do pedido feito pelo defensor público, o Juiz Dr.Renato Zupo decidiu que o Estado está proibido de encaminhar ao presídio de Araxá “cidadãos presos por quaisquer motivos em outras comarcas, a menos que o sejam por ordem prisional emitida por este juízo”. Dr. Renato ainda disse que, “ a medida é considerada imprescindível para a ordem interna do sistema prisional de Araxá. Em nota, a Secretaria de Administração Prisional (Seap) do Estado de Minas Gerais  disse que até o momento não havia sido  notificada sobre o assunto.