Destaque »

Araxá realiza 10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

14 de novembro de 2018 – 17:47 |

Foi realizada na última terça-feira, dia 13 de novembro, na Pousada Dona Beja, a  10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Araxá. O evento reuniu representantes de entidades e …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

APAE de Araxá forma a 1ª turma da Educação de Jovens e Adultos

A  Escolinha Tia Lucia  de Educação Especial e Clínica José Ananias de Aguiar, se reuniram na última sexta feira dia 02 de dezembro para, em ato público e solene, entregar a sociedade araxaense e a comunidade, a 1ª turma de formandos da Educação de Jovens e Adultos. Este ato que  une e que reúne a família apaeana foi duplamente significativo. Primeiro pela  conquista da EJA   Educação de Jovens E adultos – modalidade que tem como centralidade atender as necessidades do aluno promovendo a aprendizagem através  de suas vivencias e conhecimentos já adquiridos,  dando-lhes a oportunidade de um percurso escolar e de uma certificação. Mas também por  uma segunda razão. A satisfação de ter a  consciência de trabalhar a formação integral do  aluno,  por um processo de aprendizagem condizente com as suas necessidades, oportunizando- lhes  o seu desenvolvimento de autogestão e autodefesa para o exercício da cidadania. Isso porque APAE,  tem vasta experiência no campo da educação especial para alunos deficientes intelectuais e tem em seus quadros profissionais altamente preparados tanto no atendimento escolar, quanto em outras áreas da promoção da saúde e assistência social para a construção de uma educação que não segregue, que não rotule e que não discrimine, mas que trate as pessoas em sua singularidade, com respeito e dignidade. O trabalho da Escolinha Tia  Lúcia tem como instrumento um currículo para pessoa deficiente intelectual e múltipla  que contempla conteúdos distintos dos exclusivamente acadêmicos. Um currículo que propõe elementos que facilitam a aprendizagem significativa, elementos que outros alunos sem deficiências costumam adquirir de maneira espontânea  sem ensino formal, mas que,  para o aluno deficiente  intelectual e múltiplo deva ser objeto de intenções educacionais explicitas e de atividades pedagógicas metodicamente orientadas. Muitos dos alunos que receberam  a certificação do Ensino fundamental não atingiram todas as competências nas habilidades acadêmicas da  leitura e escrita, mas saíram  desta etapa potencialmente  habilitados  para exercerem a sua cidadania plena quanto as dimensões  sociais em sua habilidades de vida prática e de vida diária, bem como em todo o comportamento adaptativo para sua inclusão nos mais diversos segmentos sociais. Foi a primeira turma formada pela Escolinha Tia Lucia por isso o  evento  tornou-se   um instrumento de realização e de felicidade para toda a comunidade.