Destaque »

Aracely assina convênio com o Ministério da Integração Nacional no valor de 45 milhões

13 de dezembro de 2018 – 11:45 |

O prefeito Aracely de Paula esteve em audiência com o Ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua, na quarta-feira, 12, em Brasília. O encontro no gabinete do presidente da Câmara Federal, Deputado Rodrigo Maia, marcou …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Esporte

Justiça decreta prisão de boxeador namíbio acusado de tentativa de estupro no Rio

Jonas-Junias-640x474A Justiça do Rio de Janeiro decretou nesta segunda-feira a prisão preventiva do boxeador namíbio Jonas Junias, de 22 anos, acusado de tentar estuprar uma camareira na Vila Olímpica nesse domingo (7). Junias foi preso por policiais da Delegacia de Polícia Civil do Recreio (42ª DP) e levado para o Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste da cidade. Na tarde de segunda-feira, ele foi transferido para o Complexo de Gericinó, na mesma região carioca. A delegada Carolina Salomão, da 42ª Delegacia Policial (Recreio), informou que o crime ocorreu quando a camareira limpava um quarto ao lado do que o atleta ocupava na Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca. De acordo com a delegada, a camareira foi agarrada, mas conseguiu se desvencilhar e fugir. O boxeador teve o passaporte apreendido. Porta-bandeira da delegação da Namíbia na cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016 na sexta-feira (5), no Maracanã, o atleta deve ficar fora da Olimpíada. Jonas Junias compete na categoria até 64 kg e tem luta marcada para esta quinta-feira (11), contra um boxeador francês. A juíza Rose Marie Pimentel Martins, do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos do Tribunal de Justiça, converteu nesta segunda-feira a prisão em flagrante de Jonas Junius em prisão preventiva.  A juíza aceitou a denúncia contra Jonas, que tem prazo de dez dias para apresentar defesa. Na decisão, durante audiência de custódia, a juíza afirmou que existem provas mínimas necessárias para o recebimento da denúncia, pois, além do depoimento da vítima, há ainda o relato de uma testemunha. Jonas Junius vai responder pelo crime previsto no Artigo 213 do Código Penal: “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. O Comitê Rio 2016 informou que está ciente do caso e que tem acompanhado e colaborado com as investigações. Na semana passada,a polícia prendereu o boxeador marroquino Hassan Saada, também suspeito de tentar estuprar duas camareiras na Vila Olímpica.