Destaque »

Catarina enfrenta ventos fortes, mar agitado e baixa temperatura da água na travessia do Canal da Mancha

13 de setembro de 2019 – 18:25 |

Por Maurício de Castro Rosa
O ser humano é o único animal que arrisca sua vida sem ser para comer ou se salvar de um predador. Ele arrisca a vida por adrenalina, por emoções, por desafios, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Diversos

Decisão sobre caso dos vereadores e políticos de Araxá acusados de corrupção, sairá antes das eleições; diz juiz Renato Zupo

IMG_0912A data da primeira audiência de instrução da Justiça Criminal de Araxá no caso dos sete políticos da cidade que são acusados de envolvimento em práticas irregulares no suposto esquema de corrupção,  desvio de dinheiro, compra e venda de apoio político no processo de reeleição da mesa diretora da Câmara Municipal de Araxá, na gestão do ex-presidente Miguel Júnior, deverá ocorrer a partir da  segunda quinzena do mês de agosto, segundo o  juiz titular da vara criminal da Comarca de Araxá Dr. Renato Zoain Zupo. De acordo com Dr. Renato a chamada fase de ‘instrução do feito’ que se trata das oitivas e depoimentos das testemunhas e dos acusados. Ele também revelou que após essa audiência em agosto ele deverá realizar a fase decisória ainda no mês de setembro, antes da realização da votação para o pleito municipal de 02 de outubro.  A princípio a audiência de instrução que vai vão analisar e decidir sobre o destino dos vereadores afastados José Maria Lemos Júnior ( Juninho da Farmácia) Carlos Alberto Ferreira (Cachoeira), Marcílio de Faria ( Marcílio da Prefeitura) e José Domingos Vaz, o vereador cassado Amilton Marcos Moreira  (Sargento Amilton) e os vereadores que renunciaram ao mandato ( Miguel Júnior e Eustáquio Pereira), será aberta ao público e será realizada no tribunal do júri.

ENTENDA O CASO

Tudo começou em agosto do ano passado, quando foram deflagradas as apurações e diligências investigatórias no caso de compra e venda de voto em apoio político dentro do Legislativo local. Neste período todos os envolvidos em questão e outras pessoas chegaram a ser presas pela Polícia Civil de Araxá com a chancela do Poder Judiciário e do Ministério Público locais. Durante as investigações a Polícia Civil por meio de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça descobriu e concluiu os inquéritos policiais onde ficaram apontadas as práticas de crimes e delitos variados por parte dos acusados.