Destaque »

Francelino Cardoso Júnior: Levando a vida contando boas histórias

21 de setembro de 2018 – 16:59 |

No final da semana que passou ( sexta-feira, dia 14 de setembro),  os pequenos alunos da Escola Municipal Alice Moura de Araxá, foram presenteadas com a visita do …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Turismo

Minas é o Estado com maior número de bens culturais reconhecidos pela Unesco

Patrimonio Historico / Conjunto Moderno da Pampulha e candidato ao titulo de Patrimonio da HumanidadeO conjunto moderno da Pampulha agora faz parte de um grupo seleto formado por centenas de bens culturais mundo afora. Merecem destaque nesse grupo as Muralhas da China, as Pirâmides do Egito, o Palácio de Versalhes, na França, o Taj Mahal, na Índia, e a cidade de Cuzco, no Peru. No Brasil, há agora 20 sítios destacados pela Unesco – 12 na categoria patrimônio cultural e sete na de patrimônio natural. Minas é o estado com maior número de bens inscritos. Entre os representantes mineiros, a Pampulha, única modernista, está agora ao lado dos centros históricos de Ouro Preto e  Diamantina e do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas. O primeiro impacto do título de Patrimônio Cultural da Humanidade obtido pela Pampulha deverá ser no turismo, prevê o arquiteto e historiador Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC) e Belotur, ambos vinculados à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). “Desde que aumentou a mobilização em torno da candidatura do conjunto moderno, a visitação aumentou 35%”, constata. Ele diz que, conforme pesquisa, 60% das pessoas que chegam à capital visitam a Pampulha, com destaque para a Igreja de São Francisco de Assis, uma das joias projetadas por Oscar Niemeyer, com jardins planejados por Burle Marx, murais e quadros da via-sacra, interna, de Cândido Portinari, além dos mosaicos externos de Paulo Werneck. No caso dos estrangeiros, o número sobe para 83%. Empenhado na campanha de candidatura da Pampulha iniciada já quatro anos – em 1996 houve uma tentativa, embora sem resultados –, Leônidas explica que a decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) representa um cartão de visitas para a cidade. “É um título muito potente, vigoroso e poderoso para atrair turistas e isso ocorre em todos os bens culturais reconhecidos. Pela importância para a humanidade, a Pampulha está no mesmo patamar das pirâmides do Egito e da arte barroca de Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, presente em Congonhas e Ouro Preto”, afirma. Patrimonio Historico / Cidades reconhecidas como Patrimonio Mundial pela Unesco
O destino de muitos turistas que chegam a Minas é Ouro Preto, mas, ao ter um “patrimônio do mundo” reconhecido, a situação de BH pode mudar. No mundo, há apenas 8% de bens modernos protegidos e a Pampulha tem os projetos de Niemeyer, que deixou registrado, como lembra Leônidas: “A Pampulha foi onde tudo começou”. Para garantir a proteção, especialmente quanto às construções no entorno, ele ressalta que os bens são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e artístico Nacional (Iphan), Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) e Conselho Deliberativo Municipal do Patrimônio cultural, além de a Pampulha ser uma Área de Diretrizes Especiais (ADE). DE PERTO De ônibus de turismo, de carro, a pé ou de bicicleta. Sozinhos, em família ou em grupos enormes.

Credito: Welerson Athaydes/DivulgacaoAdro basilica de Congonhas com profetas 20160718080234487257e