Destaque »

Prefeito assina escritura pública de aquisição da área que será doada para McCain

6 de dezembro de 2019 – 11:29 |

A Prefeitura deu um importante passo para viabilizar a instalação da empresa canadense McCain no município. Noo  último dia 4 de dezembro, o prefeito Aracely assinou a escritura pública de aquisição …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Esporte

Dínamo e Grei, um clássico mal temperado.

Dinamo e Grei um classico mal temperado(1)Por: Alcino de Freitas.

Um clássico realizado no Estádio Octaviano Paraíso (Paraisão), campo do Dínamo, jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Amador da primeira divisão de Araxá. Apesar de clássico, o primeiro tempo foi de amargar. Pouquíssimos chutes a gol, reclamações de ambas as partes, tornando a partida um capítulo irritante. Estive sentado ao lado da mesária Neide Cristina Goulart durante toda a partida e disse a ela: “Caso fosse eu o árbitro, esta partida  não chegaria ao fim, pois eu expulsaria muitos jogadores e diretores que reclamam tanto”. Uma coisa absurda! Bastava o árbitro Walter José apitar, e tinha início a choradeira. Não vi nenhum erro grave que tenha prejudicado tanto o Dínamo quanto Grei. Se aconteceram erros durante o jogo, foram erros pequenos que acontecem com todos os árbitros. Então, qual o motivo para tanta reclamação e tanta choradeira? É preciso que se jogue mais bola e se esqueçam as reclamações. O primeiro tempo do clássico foi tudo isso aí que eu descrevi. Placar? Só poderia ser 0 a 0. No segundo tempo, parece que as duas equipes voltaram mais dispostas a correr um pouco mais, entretanto, as reclamações e choradeiras não cessaram. Aos 11 minutos, o Dínamo chegou perigosamente duas vezes na mesma jogada. A primeira foi com Lucas Rebite, e a segunda foi com Kelvi, que apanhou o rebote e tentou o gol. O goleiro Túlio fez duas defesas sensacionais. Aos 27 minutos, foi a vez de o Grei chegar, por meio de Lucas Manguinha que acabou se chocando com o goleiro Edney e teve que deixar o campo contundido. Edney evitou um bom ataque do Grei. Nesta altura, a equipe do Dínamo já havia feito algumas substituições e cresceu a intensidade do seu time. Aliás, o gol da vitória do Dínamo saiu justamente de uma jogada de dois dos seus atletas que estavam no banco. Aos 33 minutos,  Rafael Bundinha desceu pela direita e cruzou para Robson, que entrou na diagonal e marcou, espetacularmente, 1 a 0 para o Dínamo. Aos 47 minutos, Wagner Love perdeu ótima oportunidade para ampliar o marcador.  As substituições feitas pelo técnico Fernandinho Luxa não surtiram o mesmo efeito. A vitória do Dínamo pode ser considerada justa, uma vez que os jogadores que substituíram os titulares  deram mais consistência, melhor estratégia de jogo, mas fica o registro das reclamações.

Dínamo: Edney, Dunguinha (Rafael Bundinha), Lucão, Rafael Carezato (Eric), Kelvi; Caio Xaropinho, Marcos Jr. (Malaia), Moulay, Lucas Rebite (Robson); Artur e Wagner Love. Técnico: Gilberto Monteiro.

Grei: Túlio, Filhão, Jorge, Thiago Piriá, Lucas Manguinha (Gustavo); Ciel, Fabrício, Max, Daniel (Miquimba); Caceba e Caetitu. Técnico: Fernandinho Luxa.DSC03594

Árbitro: Walter José de Souza Filho, auxiliado por Noel Pereira França e Vicente dos Reis Silva.

Mesária: Neide Cristina Goulart.

Cartão amarelo. Para o Dínamo: Dunguinha e Carezato.

Para o Grei: Jorge e Daniel.