Destaque »

Aracely proibe por Decreto a vinda de trabalhadores temporários para Araxá

30 de Maio de 2020 – 5:42 |

No “Programa Bom Dia Prefeito”, da última sexta-feira, 29 de maio, a Administração Municipal informou porque é contra a vinda de trabalhadores temporários para a execução de manutenção industrial em uma mineradora da cidade. O prefeito …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Educação

Centrais de Libras facilitam acesso de cidadãos com deficiência auditiva a serviços públicos

LibrasCentralO dia a dia dos intérpretes da Língua Brasileira de Sinais que trabalham nas Centrais de Interpretação de Libras (CIL) instaladas em Minas Gerais é um exercício de cidadania. Eles facilitam a comunicação dos deficientes auditivos. Prestam assistência presencial e acompanham pessoas surdas, servindo de interpretes e tradutores, em bibliotecas, hospitais, consultas médicas, dentista, bancos, Procons, tribunais, INSS e outros serviços públicos. Desde que foi reaberta, em agosto do ano passado, a Central de Libras de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, faz cerca de 60 atendimentos mensais. A requisição do interprete para acompanhar o deficiente auditivo em serviços de assistência à saúde representa 60% da demanda. Kleber Junior da Silva é um dos quatro intérpretes que trabalham na unidade de Uberlândia. Ele relata casos que marcam dia o dia deles, como a tradução e a interpretação simultânea do quadro clínico de pacientes. “A gente sente o drama de uma pessoa com diagnóstico de câncer, por exemplo, porque é a gente que dá a notícia pra ela”, conta. Outros momentos fizeram os intérpretes se emocionar: “Já acompanhamos gestantes com deficiência auditiva desde o pré-natal até no momento do parto”, lembra Kleber, destacando que o trabalho é um aprendizado constante. Inaugurada há pouco mais de um mês, a Central de Libras de Juiz de Fora, Zona da Mata, faz em média 10 atendimentos por dia. “Prestamos vários serviços, como orientação jurídica, informações sobre emprego, processos seletivos e fazemos acompanhamentos agendados”, afirma Thais Altomar, chefe do Departamento Municipal de Políticas para Pessoas com Deficiência e Direitos Humanos. Para Thais, a Central de Libras tem possibilitado maior acessibilidade de comunicação e informação para as pessoas surdas que moram no município. Juiz de Fora, de acordo com o censo de 2010 do IBGE, tem aproximadamente 15 mil pessoas com deficiência auditiva ou surdez. Além de Juiz de Fora e Uberlândia, Belo Horizonte também conta com uma Central de Libras que foi reaberta em 2015. “Encontramos as centrais de Uberlândia e BH paralisadas e conseguimos reorganizar os serviços. Agora já podemos ver os surdos se apoderando dos equipamentos, que visam a promoção da sua cidadania”, afirma Romerito Costa, coordenador Especial de Apoio e Assistência a Pessoa com Deficiência, da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac). As Centrais de Interpretação de Libras (CIL) têm gestão compartilhada pelos governos federal, estadual e municipal. O Governo de Minas Gerais, por meio da Sedpac, é responsável por equipar as instalações e pela contratação dos intérpretes. O investimento do Estado nas três unidades, até agora, é de cerca de meio milhão de reais. Conforme o censo do IBGE de 2010, Minas Gerais possui cerca de 1,1 milhão de pessoas com deficiência auditiva ou surdas. O número de Centrais de Libras para atender essa população será ampliado. Segundo Romerito Costa, serão inauguradas, até julho deste ano, mais duas unidades: uma em Ipatinga, no Vale do Aço, e outra na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. “Queremos ampliar o acesso dos surdos aos serviços públicos e informações diversas”, afirma o coordenador da Sedpac. Os serviços prestados pelas Centrais de Libras são gratuitos. O atendimento geral consiste de orientações, informações e acompanhamentos agendados nas áreas de saúde, justiça, serviços bancários, Procon, Ministério Público, Conselho Tutelar, habitação, educação, INSS, FGTS, vagas de emprego e apoio na realização de denúncias pelo Disque 100. A assistência pode ser presencial, por telefone, e-mail ou, em algumas centrais, via Skype.

Endereço e telefone de contato das Centrais de Libras

Belo Horizonte:

Endereço: Av. Amazonas 558 –   5º andar (Casa de Direitos Humanos)

Tel.: 3270-3625 / 3626 / 3627

E-mail: central.libras@social.mg.gov.br

Skype: central.libras@hotmail.com.br

Horário: 8h às 17h

Uberlândia

Endereço: Rua Cecílio Jorge 35 – Bairro Santa Monica.

Tel.: (034) 3235-4174

E-mail: libras.uberlandia@social.mg.gov.br

Skype: libras.uberlandia@outlook.com

Horário: 7h às 18h

Juiz de Fora

Endereço: Rua São Sebastião 150 – Centro

Tel.: (032) 3214-3258

E-mail: libras.juizdefora@social.mg.gov.br

Horário: 8h às 18h