Destaque »

Cientistas descobrem Cobras que voam 24 metros

12 de julho de 2020 – 1:27 |

As chamadas cobras voadoras são capazes de ondular seus corpos enquanto deslizam pelo ar, e esses movimentos únicos permitem que elas voem, descobriram os cientistas. O animal, chamado de Chrysopelea paradisi, também conhecido como “a …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Estudo confirma potencial das terras-raras em Araxá

Por meio da subsidiária Araxá Mineração e Metalurgia Ltda., a MBAC Fertilizantes pesquisa terras-raras no município de Araxá, Minas Gerais.

Os resultados de uma estimativa independente encomendada pela MBAC Fertilizantes confirmaram a existência de altos teores de terras-raras, nióbio e fosfatos em Araxá. A empresa, que tem a propriedade total do projeto na área de 214 hectares, agora se prepara para instalar uma planta-piloto no local.

“Os resultados confirmaram nossas expectativas de que a jazida de Araxá tem uma base significativa de recursos de óxidos de terras-raras com altos teores, quando comparada a outros depósitos no mundo”, comemorou o CEO e vice chairman da MBAC Fertilizantes, Antenor Silva.

Os óxidos de terras-raras compreendem um grupo de 17 elementos químicos, utilizados principalmente em aplicações de alta tecnologia. O mercado mundial é atualmente controlado pela China, responsável por mais de 90% do fornecimento mundial. Com a recente restrição chinesa de exportação desses minerais de alto valor agregado, podem-se gerar novas oportunidades de negócios para o Brasil.

A estimativa independente no Projeto Araxá, que combinou recursos já medidos e indicados, mostrou a existência, no local, de 6,34 milhões de toneladas de minérios, com 5,01% de óxidos totais de terras-raras, 8,40% de P2O5, matéria-prima para fertilizantes, e 1,02% de Nb2O5, o óxido de nióbio.

Os recursos inferidos são de 21,94 milhões de toneladas, com 3,99% de óxidos de terras-raras totais, 7,86% de P2O5 e 0,64% de Nb2O5. Os óxidos pesados de terras- raras (HREO), somados ao óxido de ítrio (Y2O3), representam 2,48% dos óxidos de terras-raras totais. O resultado completo da estimativa será registrado dentro do prazo legal de 45 dias.

De acordo com Antenor Silva, os testes de laboratório realizados até o momento indicam ser possível obter índices de recuperação de 85%, em média, para os óxidos pesados de terras-raras. “A MBAC Fertilizantes planeja preparar uma avaliação econômica preliminar para o projeto, que deve ser entregue no terceiro trimestre deste ano, e construir uma planta-piloto no local para confirmar nossas estimativas de laboratório e a alta pureza do concentrado de óxidos de terras-raras”, afirmou.

Disponibilização de área em Araxá

Como parte da Cidade Internacional da Inovação e Tecnologia de Araxá (CIAT), o prefeito Jeová Moreira da Costa anunciou, durante a coletiva de imprensa realizada em 11 de junho, a disponibilização de uma área de 110 hectares à empresa. A propriedade está localizada no Km 677 da BR-262 e poderá ser utilizada caso o projeto de terras-raras e outros minerais seja considerado viável. “Além da exploração das terras-raras, há a possibilidade de termos toda a cadeia de produção ocorrendo em Araxá, o que resultará na geração de emprego e renda e, consequentemente, no desenvolvimento socioeconômico da população”, ressaltou.

A ação ainda conta com a participação da bióloga, ecóloga, ambientalista e consultora ambiental, Rosângela Rios, como consultora do projeto das terras-raras em Araxá.

Sobre a MBAC Fertilizantes

A MBAC Fertilizantes tem como objetivo tornar-se uma importante produtora integrada de fertilizantes fosfatados e potássicos nos mercados brasileiro e latino-americano. A companhia possui uma equipe experiente, com sólida trajetória profissional nas áreas de operações para negócios de fertilizantes, gestão, marketing e finanças no Brasil e no exterior. Em outubro de 2008, adquiriu a Itafós, a qual consiste em uma mina de fosfato, planta e uma unidade de britagem e sua respectiva estrutura, localizadas na região central do Brasil. O portfólio de exploração da mina inclui, ainda projetos de fosfato e potássio, além da recente descoberta de óxidos de terras-raras também em território brasileiro. A empresa continua a buscar oportunidades no Brasil e em outros mercados da América Latina, onde a forte base agrícola e as oportunidades únicas podem possibilitar o crescimento no curto prazo. Mais informações podem ser obtidas no site www.mbacfert.com.