Destaque »

Araxá alcança meta em todas as faixas etárias da vacinação contra pólio e sarampo

25 de setembro de 2018 – 11:55 |

De acordo com o balanço apresentado pela Administração Municipal, através da Secretaria de Saúde, a Campanha de Vacinação contra Pólio e Sarampo atingiu êxito em todas as faixas etárias compreendidas entre um ano e …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Colaboradores se mobilizam contra o mosquito da Dengue no UNIARAXÁ

Patrulha Uniaraxa (2)Preocupado com a saúde de colaboradores e alunos, o UNIARAXÁ tem buscado ações em parceria com os próprios funcionários, para combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor dos vírus da Dengue, Zika e Chikungunya. Em uma ação preventiva, desde o início do ano, os funcionários da Instituição estão formando grupos para patrulhar o campus em busca de materiais que podem acumular água e se tornarem criadores do vetor. Uma das idealizadoras da patrulha, Suelene Lacerda, comenta que a ideia era auxiliar no combate ao mosquito e, que, como a Instituição é grande, o ideal seria que mais colaboradores abraçassem a ideia. “Entramos em contato com alguns colegas que se prontificaram a nos ajudar nesta luta contra o mosquito. Fizemos uma escala e disponibilizamos uma planilha onde consta o dia em que cada dupla fará sua patrulha”, explica. Ela, ainda, alerta sobre a importância do descarte correto do lixo.

A assistente administrativo, Luciana Rosa, é uma das patrulheiras e destaca que somente no primeiro dia foram
recolhidos seis sacos de lixo, que estavam espalhados pelo campus. “Estamos nos mobilizando para ajudar e conscientizar mais gente, já Patrulha Uniaraxa (1)que todos somos responsáveis pelo cuidado com a saúde”, afirma. Ainda, segundo ela, a própria Instituição detectou algumas falhas e já procurou resolvê-las, para garantir que alunos e colaboradores evitem o acúmulo de materiais que possam abrigar as larvas do mosquito. O reitor do UNIARAXÁ, professor Válter Gomes, destaca que os resultados esperados no combate ao Aedes Aegypti só serão efetivos, se houver o envolvimento de toda a comunidade. “Cada um de nós, no lar e nos ambientes de trabalho ou de lazer, devemos fazer a nossa parte; e, ainda, convencer outras pessoas com quem convivemos a participarem desta empreitada”, completa.