Destaque »

CRUZEIRO É HEXACAMPEÃO DA COPA DO BRASIL

18 de outubro de 2018 – 17:38 |

Quarta-feira foi disputada a final da Copa do Brasil em Itaquera. Cruzeiro e Corinthians fizeram a grande final, que foi decidida praticamente pelo VAR – árbitro de vídeo. Jogando em casa, o Corinthians começou pressionando, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Esporte

Galo estreia na Libertadores com vitória

galo vence na estreiaEm  Arequipa, no Peru, a quase três mil metros acima do nível do mar, o Atlético-MG estreou com o pé direito na Copa Libertadores e, de maneira convincente, bateu de virada o Melgar-PER, por 2 a 1, diante de um ótimo público no estádio Monumental na noite da última quarta-feira. Precisou de pouco tempo para o Atlético chegar ao gol adversário. A movimentação era constante pelos lados e coube a Hyuri o chute inicial para assustar o goleiro Daniel Ferreyra. Pelo meio, a armação ficou a cargo de Luan, com a intensa participação de Patric e os retornos de Lucas Pratto. A equipe alvinegra começou o confronto com maior sequência de jogo, mas os peruanos que abriram o marcador aos 13 min, aproveitando duas infelicidades de Leonardo Silva. No cruzamento de Zuñiga, o capitão cortou no primeiro pau – a bola ficaria limpa para Marcos Rocha – e ainda parou a finalização de Cuesta com a coxa, mas a redonda sobrou para Fernández estufar as redes. Depois disso foi mantida a insistência de Patric no setor ofensivo e a pressão atleticana. O resultado veio aos 20 min em um petardo de Rafael Carioca de fora da área. Golaço. O calor atrelado à calma atleticana foram mantidos, com o Galo dominando o duelo. O gol da virada foi aos poucos se desenhando e saiu dos pés do atleta mais presente no ataque. Patric recebeu ótimo passe de Luan, driblou o goleiro e o zagueiro, e chutou para o gol vazio – alguns repórteres peruanos indicaram insultos racistas da torcida contra Patric, fato não atestados por outros presentes. O segundo tempo serviu para o Galo manter a posse de bola nos minutos iniciais, tomando apenas investidas pontuais dos peruanos. Victor precisou trabalhar e mais uma vez não decepcionou. O time atleticano, porém, foi perdendo fôlego e obrigado a segurar o ímpeto adversário para garantir a vitória. O clássico sofrimento alvinegro.