Destaque »

Aracely assina convênio com o Ministério da Integração Nacional no valor de 45 milhões

13 de dezembro de 2018 – 11:45 |

O prefeito Aracely de Paula esteve em audiência com o Ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua, na quarta-feira, 12, em Brasília. O encontro no gabinete do presidente da Câmara Federal, Deputado Rodrigo Maia, marcou …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +, Turismo

Eduardo Tannús fala do turismo em 2015 e cobra ações efetivas para o setor em Araxá

DSC07930Esta semana, o JORNAL INTERAÇÃO conversou com o empresário do setor de hotelaria e também atual presidente do Araxá Convention & Visitors Bureau, Eduardo Boaventura Tannús, que fez um balanço do panorama turístico no município de Araxá no ano de 2015. O AC&VB é uma fundação sem fins lucrativos, de caráter privado, que tem como objetivo divulgar a cidade de Araxá e região como destino turístico, apoiar eventos na cidade e na região, elaborar um calendário de eventos captados pela Fundação, prestar consultoria e apoiar o trade turístico para otimização de recursos, beneficiando o contexto coletivo. Em entrevista, Eduardo fez a seguinte afirmação: “Na minha visão, foi um ano regular para o setor em nossa cidade. Primeiro que 2015 foi um ano muito difícil em vários aspectos. A transição política na administração municipal da cidade no final de 2014 afetou  muito, e, no turismo, a gente não faz projetos mês a mês como se imaginam. Os projetos e as programações de eventos, encontros e promoções devem ser executados com planejamento anual, e com antecedência. E na realidade, durante todo o ano de 2015, nós trabalhamos sem um plano anual de trabalho, sem norte, sem projetos e sem plano de ação”. Afirmou, ainda: “Ano passado, nós não tivemos grandes eventos; eu só destaco um evento que acontece há 12 anos em Araxá, que, para mim, é o maior evento da cidade, que é a Copa Internacional de Mountain Bike”. Segundo ele, “hoje o setor de hotelaria da cidade trabalha mais a área executiva e, no final do ano, a gente tem uma baixa muito grande na hospedagem, pois as empresas param, dão férias para seus colaboradores, e o turismo de negócio cai. Já os ‘passantes’, que são aqueles hóspedes que circulam na cidade, ficam apenas um dia, também diminuíram. Araxá não tem mais turismo de final de ano. Para se ter uma ideia, a nossa cidade está perdendo espaço e turistas para  a cidade paulista de Rifaina, local pequeno, com apelo turístico muito inferior do que o de Araxá, mas, se você vir o réveillon de Rifaina, é coisa de outro mundo! Muito bom mesmo e especial. Este ano, só teve uma festa de réveillon em um clube da nossa cidade.  Hoje o nosso outro grande concorrente é a cidade goiana de Caldas Novas. Até a Serra da Canastra com alguma infraestrutura também tem tirado turista de Araxá nos feriados”. O cancelamento do serviço de voos entre Araxá e outros centros ano passado, segundo Tannús, também atrapalhou o setor. “Agora iniciaram, no fim do ano, outra linha com a empresa Flyways Linhas Aéreas, mas a gente não sabe se vai permanecer, como aconteceu com a Linhas Azul, que, do dia para a noite, interrompeu o serviço, sem maiores explicações, deixando a cidade na mão. O problema é a gente ter a confiança de que essa empresa vai continuar operando. Na verdade, 2015 foi um ano de muita dificuldade e insegurança para o setor de hotelaria e para o turismo em geral em nossa cidade. Foi um ano de mudanças, alterações e falta de plano de ações para o setor. Hoje a gente não tem a segurança de dar uma informação correta e  precisa para um turista. Pra se ter uma ideia, o Museu Dona Beja ficou fechado o ano inteiro e continua fechado. O Parque do Cristo está fechado e aguarda a reforma, e isso causa uma instabilidade muito grande. Não estou falando que  a gestão tenha culpa disso, mas foi o processo que afetou o setor”. “É preciso que os projetos sérios voltados para o crescimento e fomento do turismo de Araxá em todos os segmentos tenham apoio, respaldo dos gestores públicos, parceiros e que deem continuidade a eles. O grande problema de Araxá é que os políticos em geral não acreditam que o  turismo no mundo todo é a indústria que mais emprega, mais paga imposto e não polui, mas em Araxá, o pessoal não está dando a devida importância ao turismo, porque quando começa um projeto, ele para. Hoje o perfil do público do setor hoteleiro de Araxá é um púbico executivo. Não adianta eu brigar para ter nos hotéis da cidade turistas a passeio se a cidade e os hotéis não têm estrutura e ferramentas de lazer para manter esse turista aqui. E isso é fato. Dos 17 hotéis de Araxá, só quatro tem estrutura de lazer para o turista, que são: o Grande Hotel, Nacional Inn, Pousada Dona Beja e o Sesc”. Ainda de acordo com Eduardo Tannús, “a nossa referência em turismo hoje é o turismo de eventos e negócios. Aquela situação de uma família vir à cidade e ficar 20 dias aqui não existe mais. Hoje ninguém viaja para ficar em um único lugar mais de 5 dias. Ainda mais se não tiver atrativos! A coisa é tão complicada que recentemente um hóspede do nosso hotel precisou de um médico para atender o filhinho, mesmo sendo consulta particular, mas como era domingo, ele teve que ir à cidade de  Uberaba e voltar para Araxá”. Finalizando, Eduardo revelou: “Eu estou atuando no setor de turismo de nossa cidade há mais de 20 anos, e uma das coisas de que as pessoas reclamam sempre é que Araxá é uma cidade turística, com uma rica história, mas pouco divulgada”.pousada-dona-beja-05 nacional inn4 lazeree aeraxa c lazer araxa images hotel-nacional-inn-previdencia hotel Nacional inn Hotel do Sesc Granbde Hotel banner5 apartamento6 19318012