Destaque »

Lídia Jordão faz palestra no 13º Encontro Mulheres com Direito

17 de maio de 2019 – 19:12 |

Lídia Jordão representou Minas Gerais, juntamente com mais nove mulheres da área do Direito, de outros estados do País. Ela foi convidada pela coordenação geral  do Encontro, através da Drª Fabiana Garcia. Para Jordão, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Prazo para vacinar contra aftosa termina na segunda-feira, dia 30

????????????????????????????????????

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) alerta os produtores rurais para o fim da segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa 2015 em todo o Estado de Minas Gerais, que termina na próxima segunda-feira, dia 30 de novembro. A vacinação teve início no dia primeiro deste mês e a expectativa é que o índice de 98,4% alcançado no mesmo período do ano passado seja ultrapassado. A vacina é a única forma de proteger os animais contra a febre aftosa. Ela deve ser aplicada duas vezes ao ano, em maio e em novembro.  A fiscalização da vacinação é de competência do IMA, órgão responsável pela defesa sanitária animal e vegetal em Minas Gerais. Após o término da segunda etapa da vacinação, o produtor deve obter a declaração que comprova a imunização de seu rebanho no escritório do Instituto mais próximo de sua propriedade até o dia 10 de dezembro. Para isso é necessário que o produtor apresente a nota fiscal de compra da vacina e a Carta Aviso – preenchida com o número de bovinos e bubalinos existentes em sua propriedade e os animais imunizados por idade e sexo. O IMA alerta que o produtor que deixar de imunizar seu plantel, será penalizado com uma multa de R$ 68,07 por animal não vacinado, e o seu rebanho terá vacinação assistida (oficial) realizada pelos técnicos do Governo de Minas. Todas as despesas correrão por conta dos produtores. Em Araxá o Chefe do Escritório do IMA, Calimério Guimarães, disse à reportagem do JORNAL INTERAÇÃO, que, “  para ser considerado livre de febre aftosa, o país deve comprovar que não existem casos da enfermidade em seu território. “Atualmente, Minas Gerais é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa com vacinação. No entanto, o estado está empenhado em transformar o seu  território em área livre da doença sem vacinação”, afirma.  A erradiFoto-vacina-contra-aftosa-xcação definitiva da Febre Aftosa, que abrirá novos mercados para o agronegócio mineiro, ainda necessita que a vacinação seja mantida, para evitar o ressurgimento da doença. A vacinação é a obrigação principal do produtor rural. Ainda segundo Calimério, hoje na região de Araxá o rebanho bovino e bubalino ( búfalo), no município de Araxá está em torno de 75 mil cabeças.