Destaque »

Faltam 9 dias para o mineiro escolher os novos Presidente e o Governador

19 de outubro de 2018 – 20:12 |

Faltando nove dias para o embate final nas urnas, para a decisão do segundo turno da contenda eleitoral,  para o cargo de presidente da república do Brasil e para o cargo de  governador de Minas …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Segurança no trânsito melhora no mundo, mas piora no Brasil, diz OMS

Foto trânsito Araxá 1Em Araxá o número já é superior a 65 mil veículos

Mais de 1,25 milhão de pessoas morrem por ano vítimas de acidentes de trânsito, estima a OMS (Organização Mundial de Saúde). Segundo um novo relatório, o número de fatalidades se estabilizou e deve começar a cair agora, apesar de em alguns países, incluindo o Brasil, o trânsito estar cada vez mais perigoso. “Estamos indo na direção certa”, afirmou Margaret Chan, diretora da OMS, que atribui a melhora da média global a melhores legislações, fiscalização e a padrões aprimorados de segurança em ruas e veículos.  “O relatório mostra que estratégias no trânsito estão salvando vidas”, afirmou. “Mas também indica que o ritmo de mudança é muito lento.” Segundo o documento, num período de 3 anos, enquanto 79 países viram o número de vítimas do trânsito diminuir, outros 68 o viram crescer. O maior problema, afirma a OMS, está na África, onde a taxa de mortalidade é de 26,6 pessoas para cada 100 mil habitantes. A taxa do Brasil, desde 2003, subiu de 18,7 para 23,4, e já se aproxima daquela dos países africanos com trânsito mais perigoso. Em 2012, o país teve cerca de 47 mil mortes no trânsito estimadas pela OMS, a partir das 42,2 mil mortes efetivamente registradas e atribuídas a acidentes. Num ranking da OMS, compilado ainda com dados de 2010, o trânsito brasileiro é o 33º mais perigoso do mundo, e o 5º da América Latina. No ranking de 2013, o país é o 56º do planeta mais mortal no trânsito, e 3º das Américas, atrás apenas de República Dominicana e Belize.   Trânsito e desenvolvimento
Países em desenvolvimento, indica a OMS, concentram 90% de todas as mortes do mundo, apesar de abrigarem apenas 54% dos veículos. Os trânsitos mais letais do mundo são o da Líbia, com 73,4 mortes anuais por 100 mil habitantes, e Tailândia, com 36,2. A Europa é a região do mundo onde o trânsito é mais seguro. Em países com regras mais rígidas, como Reino Unido, Suécia, Holanda, Noruega e Espanha, as mortes anuais por acidentes de trânsito são menores que 4 por 100 mil habitantes. O relatório da OMS também mostrou que metade das mortes por  acidentes estão nos três grupos mais vulneráveis no trânsito: pedestres (2%), ciclistas (4%) e motociclistas (23%).

TRÂNSITO NO BRASIL

O Brasil, de modo geral, foi considerado um país com leis adequadas de trânsito, exceto aquelas com relação a limites de velocidade. Muitas cidades do país têm vias urbanas com limite de 80 km/h, mas a OMS só considera seguras vias urbanas com limite de 50 km/h.  As boas leis do país, além disso, não estão sendo muito bem implementadas. Em notas de zero a dez, o país recebeu apenas conceito 6 para a implementação de regras como a obrigatoriedade de capacete e o transporte adequado de crianças (no banco de trás, com assentos e cinto apropriados). O respeito à obrigatoriedade do cinto de segurança e a velocidades máximas receberam nota 7. A proibição do álcool ao volante recebeu nota 8.

O TRÂNSITO EM ARAXÁ

O trânsito e  mobilidade urbana, na cidade de  Araxá, município com pouco mais de 100 mil moradores também é um problema e um desafio para os gestores públicos, organismo e profissionais responsáveis pelo controle, segurança e planejamento desse setor que se complica  e se torna cada vez mais  perigoso em função do aumento de veículos e falta de estrutura e conscientização de alguns usuários das vias e motoristas. Em entrevista ao  JORNAL INTERAÇÃO, o Coordenador Executivo da Asttran, Bruno Borges, revelou que,  “a Assessoria está trabalhando no sentido de tornar o trânsito do município, mais ágil e seguro para todos. “ É muito importante, que a gente consiga acompanhar e monitorar as transformações e mudanças que o trânsito exigem  em função do crescimento da cidade. Nossos técnicos e agentes estão sempre em alerta, para receber as reclamações e  sugestões de pedestres e motoristas.” Para o Assessor Trânsito Bruno Borges, a preocupação da Assessoria,  não é apenas com o tráfego nas vias centrais de Araxá. “ A gente também tem alguns  problemas dessa ordem nos bairros mais populosos da cidade. Muitos moradores solicitam a colocação de redutores de velocidade em ruas e avenidas da periferia, onde as vezes o excesso de velocidade é praticado com mais intensidade principalmente nos finais de semana.”

 MAIS DE 60 MIL VEÍCULOS EM ARAXÁ

Para o Assessor Municipal Bruno Borges, a quantidade de veículos, que circula  diariamente em Araxá, também contribui para que o trânsito na região central da cidade se complique a cada dia. Ele acrescentou, que hoje o município de Araxá é um dos recordistas em número de carros em relação a maioria das cidades de Minas Gerais,  levando-se em conta a proporcionalidade em relação ao numero de habitantes. “ Nos temos em Araxá, atualmente mais de 60 mil veículos circulando nas ruas e avenidas de nossa cidade todos os dias. São número que certamente tornam o nosso trânsito mais complicado, causando alguns transtornos e reclamações por parte dos moradores, pedestres e principalmente dos motoristas.”Foto trânsito Beasail Foto trrânsito Araxá 2