Destaque »

Unidos Contra a Corrupção: Presidente da Federaminas apresenta campanha em Araxá

17 de agosto de 2018 – 16:17 |

A Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas) é a primeira entidade empresarial do País a manifestar apoio à campanha Unidos Contra a Corrupção, uma iniciativa criada pela …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Destaque

Caso Santa Casa de Araxá: MP denuncia 11 pessoas por desvio de dinheiro do hospital

Foto-Santa-CasaApós quase 90 dias de investigações, prisões, depoimentos, acareações, diligências e outros procedimentos policiais, no final da semana que passou ( dia 09 de outubro), o Ministério Público local, por meio do promotor de Justiça da Vara Criminal, Dr. Fábio Soares Valera, apresentou denúncia contra 11 pessoas envolvidas no caso de desvio de dinheiro da Santa Casa de Araxá ( cerca de R$ 240 mil ). Segundo Dr. Valera, o ex vereador Miguel Júnior, pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, organização criminosa, falsidade ideológica e corrupção ativa, poderá ter uma pena de 15 anos de prisão. Já o vereador afastado do PMDB, José Gaspar Pezão, na visão do promotor não cometeu nenhum crime e não será denunciado pelo MP. O vereador do PTdoB Sargento Amilton, segundo o promotor Fábio, será réu no delito de corrupção passiva, porque Miguel Júnior confessou que teria repassado ao vereador Amilton, R$ 10 mil, do dinheiro desviado do hospital. A pena de Amilton seria de 3 anos de priFoto processosão em regime aberto. De acordo com o MP, o ex- Secretário Municipal de Saúde, Adalberto Alves responderá por peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica. A pena indicada dele seria de 10 anos de cadeia em regime fechado. A mesma pena foi indicada para o ex-gerente do hospital Adair Silva. Já o ex-prefeito de Araxá e provedor do hospital Kléber Pereira Valeriano, como também o contador e ex-tesoureiro Antônio Nogueira, foram denunciados nos crimes de peculato e formação de quadrilha. A pena indicada para eles é de cinco anos de prisão no regime semi aberto. O empresário da cidade de Uberlândia, Alexandre Anselmo, vai responder pelos delitos de peculato, formação de quadrilha e falsidade ideológica. A pena indicada pelo promotor Dr. Fábio Valera é de oito anos e seis meses no regime fechado. Pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, com pena indicada de sete anos de prisão em regime semi aberto. São eles; a enfermeira Gizelle Abdalla Antinori, o ex-assessor Foto Santa Casaparlamentar José Aureliano Santos Coimbra ( Zezão), a dona de casa Adriane Aparecida Martins e o estudante Lucas Moura Pedrosa( filho do ex-secretário Adalberto). Os processos já estão em poder do poder Judiciário e a expectativa é de que dentro de seis meses o caso Santa Casa de Araxá, possa ser concluido.