Destaque »

Secretaria de Educação doa alimentos para famílias de alunos carentes de Araxá

1 de abril de 2020 – 17:41 |

A Secretaria Municipal de Educação, comunica que está doando gêneros alimentícios para famílias de alunos carentes da rede municipal de ensino devido a suspensão das aulas. A ação se justifica devido a mobilização que …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Palmeri vence Dínamo e derruba o último invicto do amador

Por: Alcino de Freitas

Campeonato Amador da 1º divisão

Vila Nova 3 x 2 Gef

Pela 11ª rodada do campeonato Amador de Araxá da 1ª divisão, tivemos no domingo, 06, no Estádio Honorízio Pereira Veloso, uma rodada dupla. No primeiro jogo a equipe do Vila Nova venceu o Gef por3 x 2, e na segunda partida o Palmeri venceu o Dínamo pelo placar de 1 a 0. Foram dois jogos completamente diferentes: no primeiro, Vila e Gef realizaram um grande espetáculo de futebol, um confronto disputadíssimo; enquanto Palmeri e Dínamo, ficaram numa partida muito mais discutida do que jogada.

Vila Nova e Gef. Com um minuto de partida o Vila marcou o seu primeiro gol. Tiago Humberto cruzou da esquerda e o atacante Tatisu, aproveitou para arrematar abrindo o placar. A equipe do Vila, jogando em casa, estava eletrizante, e aos 10 minutos, o árbitro assinalou uma penalidade máxima quando, a bola bateu na mão de Timim dentro da área. Belchiorzinho, encarregado da cobrança, chutou e converteu. Vila 2 a 0. O técnico do Gef, Júlio Sanches, como bom conhecedor de futebol, logo após tomar o segundo gol, fez uma substituição que mudou totalmente o panorama da partida. Tirou o lateral William, e colocou Paulo Tata para jogar mais pelo meio de campo. A mudança foi imediata. Aos 17 minutos, Douglas Araxá, diminuía, através de um chute forte da intermediária, após dominar no peito e acertar a gaveta do goleiro Romero. A partir deste instante o jogo ficou aberto, os dois times corriam com muita competência, fazendo da partida uma beleza plástica. Aos 42 minutos, Douglas Silva, Soltou a “bomba” da esquerda, a bola bateu no travessão e entrou. Estava empatado o jogo. Veio o segundo tempo, e, aos 14 minutos, Tiago Humberto, cobrou uma falta, André, subiu de cabeça e ganhou do goleiro, a bola sobrou para Kim, que empurrou para o fundo das redes. Nesta etapa derradeira, caiu o rítmo do jogo, o que já era esperado, entretanto, o Gef ainda teve mais duas grandes oportunidades para empatar. O goleiro Romero, quis enfeitar uma defesa, matando no peito, e por pouco Robinho, não marcou. A outra oportunidade foi num chute de Douglas Silva, que Romero espalmou, e Paulo Tata, chegou chutando para fora.

Vila Nova: Romero, André (Madruga), Amaral (Mateus Lucas), Kim, Everton Negão; Eder, Vitinho (Felipe Lacraia), Tiago Humberto, Moulay; Belchiorzinho (Valtinho) e Tatisu (Gustavo Frangão). Técnico: João Paulo.

Gef: Dudu Firmino, William (Paulo Tata), Raul (Rogério), Dudu, Chicão; Timim (Roger), Marcos, Douglas Araxá, Ariterlan; Cabeça (Robinho) e Douglas Silva. Técnico: Júlio Sanches.

Árbitro: Amilton César, auxiliado por Wesley Elias dos Santos e Sebastião Prosolino. Mesária: Priscila Goulart.

Cartões amarelos. Para a equipe do Vila: Romero, Mateus Lucas, Eder e Felipe Lacraia..

Para a equipe do Gef: Timim e Douglas Araxá.

Palmeri 1 x 0 Dínamo

Uma partida que decepcionou. Talvez o termo pode parecer pesado, entretanto, durante todo o jogo foram só discussão, xingamento e os dois times querendo ganhar o jogo no grito. Futebol é espetáculo, entretanto, a filosofia de jogo entre Palmeri e Dínamo, ficou fora do contexto. Tenho muito respeito pelos dois clubes, sou amigo de todos os seus diretores, mas, veemência e imprudência não podem determinar o placar. No primeiro tempo, tivemos um jogo truncado, nervoso, com pouquíssimos chutes a gol. Dá para sentir que o primeiro tempo não agradou. No segundo, aos 12 minutos, o árbitro assinalou uma penalidade máxima contra o Dínano. Caio Xaropinho, fez uma falta em Robson, dentro da área. Lequinha cobrou e marcou. Um gol que só poderia sair de bola parada, uma vez que os ataques erravam bastante. Daí em diante, a partida ficou insuportável; primeiro, que, as reclamações eram constantes, o árbitro apitava e as duas equipes reclamavam. O Palmeri para segurar o placar e sair com a vitória apelou para a o cai-cai em campo, simulando contusões, aliás, o que é permitido pelas leis do futebol, mas, deixava o adversário irritado, pois queria bola rolando para chegar pelo menos ao empate. Reclamações e mais reclamações seguida de pressão para cima do árbitro. Sábio e inteligente foi o técnico Júlio Sanches que declarou na saída do primeiro jogo:- “não queria ser árbitro por todo dinheiro deste mundo”.

Palmeri: Caio, Juninho Beiçudo, Rafael Negão, Julio César (Tiago Vitalino), Lequinha (Danilo); Cadu, Dudu (Felipe), Robson, Vertinho; Rildo (Dodo) e Elvinho. Técnico: Jhon.

Dínamo: Edney, Dunguinha (Paulo André), Lúcio, Dede, Zé do Tim; Caio (Liniker), Fernando Henrique (Malaia), Pelezinho, Wagner Love; Artur e Guilherme Mascote. Técnico: Fernandinho.

Árbitro: Wesley Elias dos Santos, auxiliado por Amilton César e Sebastião Prosolino. Mesária: Priscila Goulart.

Cartões amarelos. Na equipe do Palmeri: Dudu e Vertinho.

No time do Dínamo: Dunguinha e Caio.

DSC03243 Lances da partida VilaXGEF Lances da partida VilaXGEF2 Lances da partida VilaXGEF3 Lances da partida VilaXGEF4 Equipe do Dínamo Equipe Palmeri (capa)