Destaque »

‘Rock Bocaína 2017’, agitou final de semana esportivo em Araxá

20 de outubro de 2017 – 20:49 |

Foram quatro dias de muita ação, adrenalina e integração esportiva, na realização da 3º edição do Rock Bocaína, que aconteceu no último fim de semana, entre os dias 12 e 15 …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Deputado Bosco discute distrato da Copasa na produção de Água Mineral em Araxá

Rompimento de contrato pela Copasa sobre exploração das fontes de água mineral em Araxá e em outras três estâncias hidrominerais motivou audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Comunicado feito pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), no dia 15 de maio, anunciando o rompimento de contrato com a subsidiária da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), a Águas Minerais de Minas (AGMM), motivou audiência pública, realizada pela Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da ALGM, na manhã da última terça-feira (9). Na ocasião, o deputado Bosco (PTdoB) apresentou requerimento para realização para visita dessa comissão à presidência da Codemig.

O distrato entre a Copasa e a Codemig, detentora das estâncias hidrominerais de Araxá, Caxambu, Cambuquira e Lambari, significa que a companhia está deixando de produzir e de distribuir água mineral nesses municípios. Em 2007, a Codemig passou as concessões para a Copasa, que criou a AGMM, e, desde então, vinha explorando águas minerais. Com o distrato, a Codemig terá de buscar outra subsidiária para continuar envasando as águas minerais. “Minas tem o privilégio de ter estâncias hidrominerais de altíssima qualidade, reconhecidas à nível nacional, a exemplo de Araxá”, disse o deputado Bosco. “O envasamento dessas águas é extremamente importante para promover a atividade turística nesses municípios e, contudo, contribuir para o desenvolvimento econômico do Estado”, destacou.

O deputado manifestou interesse da comissão de que a Codemig continue mantendo o envasamento das águas minerais e, para isso, apresentou requerimento para realização de audiência junto à presidência da companhia. “Queremos saber qual será o caminho para a manutenção do envasamento das águas minerais, de modo a dar continuidade na popularização e na disponibilidade desse importante produto”, concluiu.